7.7.17

[SÉRIE] El ministerio del tiempo (e também sobre o jogo "Gardens of time")

7.7.17
Fonte: http://bluper.elespanol.com

Esses dias, eu estava passeando pela página dessa série no facebook e vi os espanhóis irados porque, ao que tudo indica, a Netflix comprou essa série (e esteve restringindo seus direitos de exibição para espanhóis no exterior, daí a fúria deles) e muito em breve ela fará parte do cartaz do canal. Eu espero isso com toda força da minha alma, sério! Assim, bateu a empolgação e só penso em falar dela.

De fato, meu amor por essa série começa antes de ela começar. Senta que é uma história engraçada: 



Acontece que há 6 anos comecei a jogar um joguinho no facebook por muito tempo que se chamava "Gardens of time". O jogo existe ainda (o problema é que ele parou no tempo e a jogabilidade dele é cada dia pior) e conta a história de uma "Sociedade do tempo" cujo objetivo é parar as alterações na história. No jogo, existe uma storyline por capítulos, e a narrativa começa com um suspense todo legal, primeiro sobre nossa admissão como membro dessa Sociedade e depois sobre alterações feitas na história por uma pessoa desconhecida que vai revelando sua identidade no decorrer dos fatos. Quando ela se revela, por trás disso tem toda uma trama super legal e interessante.

Foi um jogo muitíssimo popular e premiado em 2011 e tinha diferenciais muito interessantes em relação aos demais jogos de objetos ocultos (devo mencionar que foi o primeiro jogo de objeto oculto que eu joguei, daí o meu vício haha), como, por exemplo, uma história que continua no decorrer de vários capítulos e interações entre as personagens que têm um certo nível de complexidade, apresentando história de vida, interações entre elas que evoluem e muitas, muitas, muitas referências diretas a culturas e civilizações.

Muito do meu vício era devido às personagens. A gente não vai "sozinho" desfazer as tretas, vai de patrulha com um ou às vezes duas figuras e isso sempre é uma oportunidade de saber mais sobre elas e de presenciar suas histórias e coisa e tal. E cada uma é muito bem cuidada nesse sentido, elas tem personalidades fortes e suas motivações para fazer parte da sociedade. Tudo isso vai sendo revelado no avançar dos capítulos e eu ficava louca querendo saber tudo sobre elas.

Deixo aqui uma imagem que encontrei sobre cada uma:




Só pra situar, o Alistair era o cabeça da sociedade, a Eleanor era a chefe da patrulha, por assim dizer, a Lulu, Megan e o Quincy são nossos companheiros de patrulha e o Richard aparece bem depois. Também tem o Chauncey, um senhorzinho meio doidinho que patrulha muito com a Lulu, e o Sir Geoffrey que era um cavaleiro da corte do rei Arthur e daí ele e a Eleanor tem um caso de amor tórrido, mas as coisas não terminam bem... Enfim.

Agora prestem atenção na sinopse da série "El ministerio del tiempo":


Série criada por Pablo e Javier Olivares, acompanha as aventuras de um grupo de agentes que tem a responsabilidade de preservar a história da humanidade, tal como ela ocorreu. No período em que a Rainha Isabel governava a Espanha, foi criada uma organização cujo objetivo é evitar que empresas ou indivíduos alterem o passado para benefício próprio. A organização é formada por agentes representantes de diferentes períodos. Vivendo todos no tempo presente, eles precisam voltar ao passado sempre que algo está para acontecer que irá mudar a história.
Entre os agentes estão, Julián (Rodolfo Sancho), um homem do nosso tempo que perdeu a esposa em um acidente de trânsito; Amelia (Aura Garrido), que vem do final do Século XIX, uma das primeiras mulheres a estudar na Universidade de Barcelona; e Alonso (Nacho Fresneda), um soldado do Século XVI. (Fonte: https://seriestorrent.tv/)

Alguém percebeu a "inspiração"?

Claro que, como série, eles têm muito mais possibilidades de serem mais dinâmicos, mas achei bem descarada a referência, e acho que eles deveriam colocar isso na abertura, mas, enfim, não condeno, porque eu pensei em escrever algo com a mesma proposta alguma vez na vida, não fiz de burra, fica a dica, galera, escrevam na hora as coisas, não deixem passar.

Mas não amo menos a série por isso, na verdade amo mais 💗. Inclusive, acho essa uma das séries mais incríveis que estou vendo no momento, tanto pela proposta em si que difere muito das propostas sobre viagens no tempo como pela cultura que ela transmite em cada episódio. Nesse aspecto, os criadores da série foram muito fieis ao jogo, mas à sua maneira porque a série se tornou um grande veículo de transmissão da cultura espanhola para o mundo.

A história, que está em sua 3a temporada, começa com o recrutamento da nossa patrulha principal: Julian, Alonso e Amelia, pessoas que viveram em tempos muitos distintos e cada um com uma capacidade diferente. Alonso é a força da equipe, porque era um soldado; Amélia é a cabeça da equipe, porque possui um conhecimento enciclopédico, e Julian seria o médico, a força curativa, por assim dizer.

No primeiro capítulo, Salvador, o cabeça do ministério, explica como funciona. O ministério está repleto de portas que levam à lugares e tempos diferentes. Essas portas são sempre catalogadas e classificadas. Elas levam somente ao passado, nunca ao futuro, porque o nosso tempo presente seria o fim da linha temporal.

Aqui temos as personagens principais, da esquerda para a direita: a secretária de Salvador, Angustias; Salvador, o "chefe"; Alonso, Amélia, Julián, Irene (a chefe de logística, ou seja, quem fala quem vai pra onde) e Ernesto (chefe de operações).


Obviamente é uma proposta que apresenta problemas. De cara eu peguntei: "mas como eles levam as portas para o ministério?" "Por que todas as portas dão no ministério?" Mas, se você releva essas coisas e se deixa levar pela história, essas coisas logo são diluídas pela trama estabelecida.

Assim como no jogo, eles apostaram muito no cuidado com as personagens. Todas com suas motivações para estar ali, com seus pensamentos e modo de agir diferentes, todos carregando uma bagagem cultural bem grande de suas épocas que determinam o modo como elas interagem, falam e veem o mundo. (E lembram da parte da pessoa desconhecida alterando a história e que depois ela se revela? Os autores da série aproveitaram esse plot também...).

E, como eu disse antes, o principal da série pra mim é a maneira divertida com que ela ensina sobre a cultura tanto espanhola como mundial. Só na voz de Amelia, que é uma enciclopédia humana, aprendemos sobre arte, literatura, história, sociedade, filosofia etc. Mas os episódios estão impregnados disso o tempo todo, trazendo os grandes nomes dessas áreas e nos fazendo interagir e conhecê-los quase em contato direto. Assim, cada episódio é uma aula e a gente nem percebe do tanto que se delicia com a história.

Dá só uma olhada em algumas das pessoas importantes que já apareceram até agora (tirei as imagens deste blog aqui http://www.hobbyconsolas.com/reportajes/ministerio-tiempo-realidad-vs-ficcion-142022 que você DEVE conferir porque tem as informações sobre cada personagem histórica):


Diego Velazquez: o retratista da patrulha, rende sempre ótimas cenas!

Rainha Isabel, a católica (fundadora do Ministério do Tempo)

Hitler (dispensa apresentações).

O ditador espanhol Franco.

O dramaturgo Lope de Vega (aparece de vez em quando e são os melhores episódios, principalmente quando ele fica de intriga com o Cervantes, são hilários!) 

O autor Miguel de Cervantes, que escreveu Dom Quixote.

O diretor de cinema Luis Buñuel.

Napoleão Bonaparte.

Picasso.

Houdini

Lorca.

Salvador Dalí.

Alfred Hitchcock

Cristóvão Colombo.

O pintor Goya.

O poeta Gustavo Adolfo Bécquer.


E, ainda, menciono de maneira especial a presença de Lázaro de Tormes (o primeiro pícaro da literatura), Cid Campeador (sobre quem é escrito o poema El cantar de mio Cid), William Shakespeare e de Simon Bolívar, estas duas últimas simplesmente hilárias.

Recomendo muitíssimo. Avalio com 10 estrelas, se a nota for de 1 a 5.

E a parte boa é que tem gente legendando ela em português, então deixo aqui um site pra vocês baixarem: https://seriestorrent.tv/el-ministerio-del-tiempo/

Se alguém começar a ver, me conta pra gente conversar <3.





Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©