10.4.17

Dicas de séries de época [parte 2]

10.4.17
Créditos: http://www.hollywoodreporter.com


Semana passada, dei algumas indicações de séries de época que assisto ou assisti. Você pode conferir o post aqui. Acabei me empolgando e não consegui falar sobre todas, então, eis-me aqui para continuar o post.

Na postagem anterior, disse que não falaria das mais famosas, mas acabei de mudar de ideia, então vamos lá xD. Mais uma vez, vou pela ordem crescente de preferência.



Outlander (2014)


Créditos: http://www.shdaao.com

Essa série foi a indicação de uma amiga. Antes disso, eu até tinha visto na lista de séries da netflix, mas não tinha me chamado muito a atenção, porque era de um bestseller escrito por uma mulher e pensei que, por isso, e mais as imagens sempre bonitinhas que apareciam, a história seria muito água com açúcar. 

Um belo dia, eu não tinha nada pra fazer, e eis que resolvi ver a série. Já no primeiro episódio fui conquistada. Outlander conta a história de Claire Fraser, uma enfermeira que depois da Segunda Guerra, vai com o marido para um povoado na Escócia e, durante uma visita a um lugar místico, ela volta no tempo e vai parar no ano de 1743 e lidar com um mundo desconhecido.

Além dos cenários lindos, e dos atores, a série é super bem-cuidada como um todo. Também, para contrariar, grazadeus, minhas expectativas, ela possui imagens fortes e não nos poupa da violência da guerra em nenhum momento. 

A série também é bem fiel à história, apesar desse elemento estranho que é a Claire, e dá até pra ficar sabendo um pouco mais sobre a história da Escócia, da luta pela independência e essas coisas. 

De vez em quando tem uns nus masculinos frontais e uma cena de sexo homossexual, então não aconselho a ver com a familia, mas aconselho VER.


Penny dreadful (2014-2016)


Créditos: http://noset.com.br

Desde quando anunciaram essa série, eu quis ver, porque uma versão de Once Upon a Time com os contos góticos do século XIX era tudo o que eu queria na vida. E no começo a série não me decepcionou, ela veio com uma proposta destruidora, adulta e complexa. O crossover também ficou maravilhoso. Era a série que eu mais esperava.

Nas temporadas seguintes a qualidade decaiu, e a terceira temporada se tornou totalmente dispensável, mas mesmo sendo assim, ainda acho que compensa ver, especialmente pela primeira e pela segunda temporadas.

A série começa com Mina (aquela do Drácula, lembra-se?) sequestrada (por quem será?) e com seu pai armando um grupo de busca para resgatá-la. Nesse grupo está Vanessa, a melhor amiga da moça e que é também médium, um lobisomem, Ethan, que está fugindo de suas origens e o Dr. Frankenstein. Mas, ainda, cruza o caminho do grupo o próprio monstro criado pelo doutor, Dorian Gray e os rumores dos crimes de Jack Estripador.

A história é repleta de irreverência, de mistério, de misticismo, de criaturas sobrenaturais, de erotismo e violência.

Assim que posso dizer simplesmente: VEJAM.


Salem (2014-2017)


Créditos: https://omelete.uol.com.br

Sempre quis ver uma série de bruxas que não fosse de temática adolescente, nem que fosse um crossover com vampiros. Daí quando vi que lançariam Salem, fiquei com muita vontade de ver, porém quando vi que se tratava de uma série de terror, tive muito receio porque sou bem medrosa kkkkk, então até vencer o medo foi tempos.

Mas venci e foi a melhor coisa do mundo. A série é muito boa, só a última temporada que eu acho que eles escorregaram, mas ainda assim é boa. Mas as primeiras temporadas são muito bem feitas e ninguém é bom ou mau, todo mundo é meio que sobrevivente de um lugar muito hostil. 

E a série fala de machismo, fala do empoderamento feminino, fala das relações humanas, da corrupção, de religião, de paganismo, de deus e o diabo. Muito tenso. 

Nem posso esquecer de falar das atuações maravilhosas, como a de Janet Montgomery que cresce muito ao longo da temporada, Shane West, Seth Gabel, e especialmente a Lucy Lawless (nossa queria Xena, a princesa guerreira) na segunda temporada que aparece matando mesmo, ótima!


The Frankenstein Chronicles (2015)


Créditos: http://pixelpopnetwork.com.au


Essa também é uma série da ITV, como Grantchester, e, obviamente, é baseada na obra da Mary Shelley. O que eu achei interessante foi que os roteiristas dessa série acharam uma maneira muito legal de inserir esse universo da obra num contexto super verossímil.

A história gira em torno da figura de John Marlott, interpretado pelo Sean Bean, em 1827. Ele, veterano da guerra, tuberculoso, esconde sua doença e vai trabalhar como inspetor de polícia, investigando um caso muito bizarro em que o corpo de um menino encontrado num rio tinha partes de várias outras pessoas. 

Isso faz com que Marlott acredita que alguém está copiando a obra de Mary Shelley. 

A série tem muito suspense, especialmente de cunho psicológico, ao colocar à prova essa questão do sobrenatural de Frankenstein. Então a gente fica vendo e fica apreensivo o tempo todo, porque, ao mesmo tempo que a própria atmosfera (muito bem retratada em sua sujeira e precariedade) é muito asfixiante, o mistério envolvendo esse corpo e o ar sobrenatural que rondava a época, só deixa tudo mais evidente.

Além do mais, a própria Mary Shelley aparece na obra, pra fazer uma revelação chocante.

O final da temporada, então, é: NOSSA!


Drácula (2013 - 2013)


Créditos: http://maisqinerds.com


Acho que o Drácula em si dispensa apresentações, por isso mesmo eu esperei por essa série mais que por muita coisa no mundo e acho que ela não me decepcionou em nenhum momento. A série mostra um drácula mais humanizado, mais prudente, que buscava vingança contra a sociedade do Dragão, aquela que o aprisionou. E o modo como ele decidiu fazer isso desenvolvendo uma tecnologia próxima à eletricidade que roubaria o poder dessa sociedade sobre a sociedade. Por isso mesmo ele se disfarçou de empresário norte-americano e fez uma aliança com o Van Hellsing para destruir esse povo, pois a sociedade do Dragão também causou muito mal ao Van Hellsing.

Mas aí aparece a Mina e a coisa desanda toda. Ele, como no livro, acredita que a moça é a reencarnação do amor da sua vida e cai de amores por ela. E aí tem o Jonathan, noivo da moça, que é um obstáculo para o Drácula, daí ele, naquela filosofia de "manter os amigos perto e os inimigos mais perto ainda", contrata o moço como assessor de imprensa. E aí entre esse amor pela Mina, a ambição por destruir a sociedade do dragão, sua sede de sangue e o esconder sua identidade, a série segue.

Só que foi cancelada no fim da primeira temporada. EU NÃO SEI POR QUEEEEEEEE. Sério, o povo reclamava muito que a série era lenta, mas, tipo, era um prólogo da história original e estava deslanchando super bem, mas não tiveram paciência de esperar... Enfim, mesmo tendo só uma temporada vale muito a pena ver, é muito bem feita e legal. Amo, a que mais amo <3.

********
Ai, agora terminei!

E dessa lista, você conhece alguma?
Comenta aí!



Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. AMOOO Salem, a Mary é destruidora!! <3 Eu fiquei com medinho de ver também pq não gosto mto de terror, mas olha.. mesmo virando a cara em algumas cenas me conquistou mto, rs. Penny Dreadful já não curti muito, achei meio gore demais. Outlander eu até tenho o livro, mas sempre tive esse receio de ser água com açúcar, mas tô querendo dar uma chance. A do Frankenstein você falou tão bem que mesmo não gostando dessa história já quero assistir! Agora, de vampiros confesso que tô meio cansada, rs.

    Ótima lista! <3
    Beijo!
    Metamorphya••• Particpe do Sorteio de 1 Ano do Blog!

    ResponderExcluir
  2. Eu quero muito terminar de ver Salem! Por conta de American Horror Story, ainda durante a temporada de Coven, a divulgação da série foi até massiva e eu comecei a acompanhar simultaneamente com a estreia. Mas lá pelo quarto ou quinto episódio acabei largando e não procurei mais pra ver. Penny Dreadful eu tive indicação por um post de outro blog e me apaixonei a partir do momento em que a menina escreveu que há uma versão de Dorian Gray eu já me apaixonei. Porque eu o amo, mesmo que ele não seja lá um bom exemplo para as crianças, haha. Enfim, vou salvar esse post nos favoritos pra tentar ver todas as séries! ♥

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©