11.8.16

6 filmes estrelados por Robin Williams para assistir na netflix

11.8.16
Créditos: http://abc7news.com/


Levei um baita de um susto quando apareceu minhas memórias no facebook hoje e notei que faz não um, mas dois anos que o ator Robin Williams morreu. Não tem como escapar do clichê: como o tempo passa rápido, socorro!

Quem viveu a infância na década de 90 teve esse ator muito presente na vida. Robin Williams foi pai, irmão, babá, psicólogo, professor, médico e, acima de tudo, um grande amigo, auxiliando a gente em várias etapas do nosso crescimento.

Pra mim é impossível não lembrar de filmes como "miss Doubtfire", "Jumanji", "Hook - a volta do capitão gancho" (o primeiro filme que assisti legendado na vida!), "Jack", "Um sinal de esperança" (um dos filmes mais tristes da minha adolescência)... e muitos outros, claro, que nos fizeram rir, chorar e aprender a sermos um pouco mais sensíveis diante do mundo.

Por isso, resolvi homenageá-lo, garimpando seus filmes na Netflix e fazendo uma pequena lista daqueles que vi e que recomendo.

São eles:


Bom dia, Vietnã (Good Morning Vitnam - 1987)



Sinopse: Saigon, 1965. Adrian Cronauer (Robin Williams) vai para o sudeste da Ásia para trabalhar como dj na Rádio Saigon, operada pelo governo americano. Em contraste com os tediosos locutores que o precederam, Cronauer é bem dinâmico e inicia sempre as transmissões com um sonoro e vibrante "Bom Dia, Vietnã!", tocando músicas que não tinham sido aprovadas por seus bitolados superiores. As piadas que conta durante o programa provocam a indignação de Steven Hauk (Bruno Kirby), seu superior imediato, que tenta sabotá-lo. Fonte: http://www.adorocinema.com/

Foi com esse filme que Robin Williams teve sua primeira indicação ao Oscar de melhor ator. 

Essa história se trata de um drama disfarçado de comédia, a gente começa a ver achando que vai ser um filme leve e legal, mas ele termina sendo um filme lindo e legal. A personagem dele (de quem esqueci o nome, desculpa) tem uma missão pesada, que é aumentar a moral do exército americano durante a guerra e ele decide fazer isso de uma forma super irreverente, o que vai agradar a uns e chatear outros.

Mas o ponto chave é quando ele se apaixona por uma vietnamita, daí ele entra num caminho muito diferente daquilo que ele esperava viver no lugar. 

Curto demais a trilha sonora desse filme. que é de matar de emoção — tudo de música que eu gosto na vida — e gosto mais ainda das tiradas da personagem do Robin Williams, assim como dos comentários do grupo de soldados que o acompanham mais. 

Vi o filme em VHS e acho que vou aproveitar para revê-lo =D.




Sociedade dos poetas mortos (Dead poets society - 1989)



Sinopse: Em 1959 na Welton Academy, uma tradicional escola preparatória, um ex-aluno (Robin Williams) se torna o novo professor de literatura, mas logo seus métodos de incentivar os alunos a pensarem por si mesmos cria um choque com a ortodoxa direção do colégio, principalmente quando ele fala aos seus alunos sobre a "Sociedade dos Poetas Mortos". Fonte: http://www.adorocinema.com/

Acho que todo ser humano na Terra conhece esse filme. Ele vai e volta com uma frequência incrível, o que restaura minha fé na humanidade de tempos em tempos. Acaba que estou chovendo no molhado, mas como não citá-lo?

Quando o assisti pela primeira vez, tinha uns 15 anos, e ele ficou tão entranhado na minha cabeça que meu sonho de adolescência passou a ser fundar um clube semelhante. 

O filme é bem "idealista", especialmente enquanto à figura do professor, ou seja, coloca o professor como uma figura muito maior do que ele realmente é na minha opinião, como se não fôssemos todos humanos e tivéssemos nossos lados ruins. No entanto, é um elogio à literatura, aquilo pelo que "vale a pena viver". E mostra como a arte pode influenciar as pessoas positivamente, tornando-as muito melhores e mais profundas. Acredito muito nisso, apesar de ser realista na vida xD.

Quem não viu, não pode ser uma pessoa considerada completamente feliz no universo xD.




Tempo de despertar (The Awakenings - 1990)


Créditos: http://obviousmag.org/

Sinopse: Bronx, 1969. Malcolm Sayer (Robin Williams) é um neurologista que conseguiu emprego em um hospital psiquiátrico. Lá ele encontra vários pacientes que aparentemente estão catatônicos, mas Sayer sente que eles estão só "adormecidos" e que se forem medicados da maneira certa poderão ser despertados. Assim pesquisa bem o assunto e chega à conclusão de que a L-DOPA, uma nova droga que já estava sendo usada para pacientes com o Mal de Parkinson, deve ser o medicamento ideal para este casos. No entanto, ao levar o assunto para o diretor, ele autoriza que apenas um paciente seja submetido ao tratamento. Imediatamente Sayer escolhe Leonard Lowe (Robert De Niro), que há décadas estava "adormecido". Gradualmente Lowe se recupera e isto encoraja Sayer em administrar L-DOPA nos outros pacientes, sob sua supervisão. Logo os pacientes mostram sinais de melhora e também mostram-se ansiosos em recuperar o tempo perdido. Mas, infelizmente, Lowe começa a apresentar estranhos e perigosos efeitos colaterais. Fonte: http://www.adorocinema.com/

Pelo que eu andei lendo, não sabia, esse filme é baseado em fatos reais, mais especificamente nas experiências do médico Oliver Sacks (que também morreu recentemente D:).

Para falar a verdade, eu acho que comecei a chorar no momento em que ele acorda a personagem do DeNiro e só paro de chorar, ou não, quando o filme acaba. Não só pela premissa do filme, mas pela relação do Dr. Sayer tanto com os pacientes que estão "acordados" quanto com aqueles que estão "adormecidos". Mas, imagina: você fica 30 anos em coma, e então é despertado. É claro que você vai querer correr atrás do prejuízo. E a personagem do DeNiro faz isso de uma forma tão linda que só de lembrar já vai me dando aquele nó na garganta. 

E outra coisa interessante é que o Dr. Sayer é uma pessoa muito tímida e que podemos considerar também como estando "adormecida" diante da vida. Então fica naquilo de você não saber muito bem quem, de fato, acorda quem.




Jumanji (Jumanji - 1995)


Créditos: http://paradatemporal.blogspot.com.br/

Sinopse: Em 1869, dois garotos apavorados enterram um baú e, cem anos depois, o filho de um empresário descobre que dentro dele há um jogo chamado Jumanji. Quando começa a jogar com uma amiga, ele logo é penalizado a ficar na floresta até que alguém tire cinco ou oito. Como na jogada seguinte ela é atacada por morcegos, em virtude de seu posicionamento no tabuleiro, o jogo é interrompido e ele imediatamente fica preso dentro de Jumanji. Mas, vinte e seis anos depois, duas crianças começam a jogar e uma acaba libertando-o. Porém, a única forma de deixar tudo como antes é terminar a partida, mas para isto é preciso achar a participante da partida de 1969. Juntos eles enfrentam perigos, que surgem a cada jogada, e enquanto o jogo se desenrola a cidade se transforma em um caos, pois animais selvagens, plantas assassinas e até um caçador de pessoas saem do tabuleiro e vão permanecer enquanto o jogo não findar. Fonte: adorocinema.com.br

Nem posso falar muita coisa, porque essa década de 90 foi uma época bem boa para filmes de aventura. De todos os modos, Jumanji foi épico. Como os jogos de tabuleiro estavam muito em alta, afinal de contas, eram praticamente a única forma de jogar xD, essa ideia casou direitinho com todas as possibilidades de aventuras vividas pelas crianças. 

Do filme derivou um desenho animado que acompanhei durante muito tempo também.




Gênio Indomável (Good Hunting - 1997)


Créditos: http://cinema.uol.com.br/
Sinopse: "Jovem trabalha como faxineiro de uma escola, quando um professor descobre que o rapaz é um gênio para lidar com números. Mas o rapaz também tem problemas emocionais e de comportamento, e precisa de um psiquiatra." Fonte: epipoca.com.br

Do diretor Gus Van Sant, o filme levou um monte de prêmios, entre eles, o oscar de melhor roteiro original. Devemos lembrar também que quem assina o roteiro do filme é o próprio Damon e seu amigo Ben Affleck, na época que a parceria deles rendia boas coisas. 

Gosto muito desse filme por diferentes razões, mas principalmente pela figura do Will (personagem de Matt Damon) que é um gênio, desafia todas as pessoas à sua volta, mas sua inteligência nem de longe consegue fazer com ele que saiba viver no mundo, ou seja, ele está totalmente perdido e precisa de orientação. Se isso não mostra que o conhecimento não é tudo na vida, e o conhecimento acadêmico menos ainda, não sei mais o que mostra. E acho que hoje esse filme é uma parada obrigatória pra gente, pra mostrar que não adianta ficar se apegando nesse tipo de coisa pra se nivelar em relação aos outros... O Will é muito arrogante nesse sentido, e é incapaz de ver que está muito longe de ser feliz.

Para ajudá-lo, aparece a figura de Williams que, apesar de ser muito bom no que faz, acima da sua função de psiquiatra está o lado humano e ele também é uma pessoa que precisa de algo pelo que viver. 

E nos embates do dois, nenhum sai ileso. Muito menos a gente que assiste. 




O som do coração (August Rush - 2008)


Créditos: http://www.sensacine.com/
Sinopse: August Rush (Freddie Highmore) é resultado do encontro casual entre um guitarrista e uma violoncelista. Crescido em orfanato e dotado de um dom musical impressionante, ele se apresenta nas ruas de Nova York ao lado do divertido Wizard (Robin Williams). Contando apenas com seu talento musical, August decide usá-lo para tentar reencontrar seus pais. Fonte: http://www.adorocinema.com/

Esse filme é uma espécie de Oliver Twist atualizado. É um filme bem bonitinho. O Robin Williams faz um papel meio de vilão, mas, mesmo assim, isso acaba mudando um pouco ao longo da história. Da minha lista, não é um dos melhores, não tem a mesma força de nenhum citado anteriormente, mas vale ver, as músicas são super lindas e dá pra distrair.




******


Bom, é isso, espero que tenham gostado. Ainda sobraram mais alguns filmes dele, mas como ainda não vi, achei melhor não comentar nada a respeito. Vou rever e depois aproveito para fazer uma lista com meus filmes preferidos, porque apenas UM está nessa lista aqui.

Já viram algum? O que acharam? Comentem aí e deixem o link do blog de vocês para eu retribuir a visita. Não precisa ficar com vergonha, não, muito pelo contrário, prefiro quando tem o link porque me poupa muito trabalho haha. 

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Post maravilhoso! Ele é o ator que marcou mesmo, alguns filmes eu já assisti e outros não, então gostei mesmo do post, como não tenho tido tempo para séries porque se começo a ver não faço mais nada, então melhor assistir filmes e esses que indicou vou ter um problema sério. Não sei qual ver primeiro.rsrs
    Ah mencionei você no meu blog, o link da postagem é esse: http://www.pilateandosonhos.com/2016/08/premio-dardos-uhu-uhu.html

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Excelentes escolhas. Já anotei os dois que não vi para aqueles dias de chá e chuva <3

    ResponderExcluir
  3. Oi, Salieri!
    Amei o post, uma homenagem ao talentoso ator que foi Robin Williams! Já assisti vários...
    Bjs.

    ResponderExcluir

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©