31.5.16

[BLOGS UP] Melhores contos de Edgar Allan Poe

31.5.16
Vetores: Pixabay


Socorro! Essa semana passou muito depressa!

Mas, conforme prometido, voltei a tempo para fazer a blogagem coletiva do Blogs Up, e eu juro que no próximo post indico meus parceiros divos. Meu número de parceiros caiu, mas a culpa é toda minha por não conseguir seguir os blogs mesmo. Com o tempo recupero o prejuízo.

Poe foi um dos primeiros autores clássicos que li na vida, já na adolescência. E sua leitura me causou um impacto tão grande que eu só podia virar fã mesmo. Era impossível não perceber que havia algo diferente naquelas histórias! E a tensão que seus contos provocam, a oportunidade de olhar a mesma situação de várias maneiras, só deixam mais evidente a riqueza dos seus textos. Por essas e outras que todo mundo que me conhece do ensino médio se lembra de mim como a loca que vivia indicando conto do Poe para todo mundo. 

Uma excelente indicação, no final das contas. A importância desse autor para a literatura moderna é grandíssima. Poe é um divisor de águas na maneira de se contar uma história curta, e por isso é chamado de "o pai do conto moderno".


Daí quando surgiu esse tema para blogagem coletiva, simplesmente não podia ficar sem fazê-lo. Vou falar sobre meus três contos preferidos, porque, se colocasse todos, do jeito que gosto de escrever, ia fazer todo mundo sair correndo com a extensão da postagem.

Então vamos à lista:


3o LUGAR - Coração denunciador


Créditos: Youtube
É verdade! Nervoso, muito, muito nervoso mesmo eu estive e estou; mas por que você vai dizer que estou louco? A doença exacerbou meus sentidos, não os destruiu, não os embotou. Mais que os outros estava aguçado o sentido da audição. Ouvi todas as coisas no céu e na terra. Ouvi muitas coisas no inferno. Como então posso estar louco? Preste atenção! E observe com que sanidade, com que calma, posso lhe contar toda a história.

Esse foi o primeiro conto que eu li dele. E quando cheguei ao final, já estava pregada no teto de tanta surpresa e de tanto assombro. Estava super acostumada com contos e personagens planas, então, ver toda uma loucura construída e escancarada tal como ela devia ser em um texto, foi uma porrada na cara.

Eu sempre costumo dizer que a gente, para escrever, deve MOSTRAR as coisas e jogar todos os juízos de valores para o leitor, pois isso vai fazer com que cada um avalie uma situação de um modo e o conto seja várias coisas em uma só. Com certeza, isso eu aprendi lendo esse conto *-*.




2o LUGAR - A queda da casa de Usher


Créditos: Youtube
Durante todo um dia pesado, escuro e mudo de outono, em que nuvens baixas amontoavam-se opressivamente no céu, eu percorri a cavalo um trecho de campo singularmente triste, e finalmente me encontrei, quando as sombras da noite se avizinhavam, à vista da melancólica Casa de Usher. Não sei como foi – mas, ao primeiro olhar que lancei ao edifício, uma sensação de insuportável angústia invadiu o meu espírito.

Não é à toa que eu passei três semanas em 2014 lendo esse conto com meus alunos, destrinchando o máximo possível cada cena. E pior de tudo, o que me faz acreditar que vida imita a arte e não o contrário xD, é que há muito tempo aqui em Uberlândia houve um sequestro e o sequestrador matou a vítima e a cimentou na laje do cativeiro, quase a mesma coisa que acontece com alguém aqui nesse conto.

E é simplesmente linda a analogia que ele faz com a casa e a própria condição do Usher, como se ambos fossem um organismo só.

Melhor ainda é ler esse conto e depois correr e ver o filme "O substituto", sobre o qual ainda quero falar aqui alguma hora ♥.




1o LUGAR - Ligeia


Créditos: Benjamin Lacombe
Não consigo, por minha fé, recordar como, quando ou sequer onde precisamente conheci Lady Ligeia. Longos anos decorreram desde então, e o muito que sofri debilitou-me a memória. Ou talvez não consiga neste momento trazer esses dados à mente porque, na verdade, o carácter da minha amada, a sua rara cultura, a sua beleza fisionómica, plácida mas singular, e a penetrante e cativadora eloquência da sua fala grave e musical abriram caminho até ao meu coração a passos tão firmes e furtivamente progressivos que me passaram despercebidos e se não deram a conhecer.

Já falei desse conto aqui em outras oportunidades, então acho que nem é surpresa meu amor por ele. O que mais chama a atenção é o trabalho do narrador de construir Lady Ligeia como uma figura espectral, quase sem corpo, como um fantasma que paira ao seu lado —  e vamos colocar uma ênfase muito grande aqui ao "a seu lado", porque Ligeia é mais que a mulher amada para o narrador em questão, é sua companheira da vida, de estudos, de tudo xD. Enfim. Acho isso de uma lindeza tão grande que esse conto eu leio e releio sempre que posso.




Obs: A imagem que eu coloquei pra ilustrar a Ligeia na verdade é a Morella, outra personagem de outro conto, porém, na falta de uma imagem, foi essa mesma XD. Obrigada, de nada xD.


Conhecem algum?
E quais são os preferidos de vocês? Se animarem de comentar, comentem aí e me indiquem contos ♥


*****


Gente, vou deixar avisado de antemão que tenho um problema seríssimo com responder comentário aqui no blog. Mas eu juro que respondo lá no seu bloguinho mesmo (tipo, eu retribuo visita, leio post, e faço um comentariozão abarcando tudo <3), então se comentar, PLEASE, deixa link. Desculpem por isso, mas quero ser sincera nesse ponto, de verdade. 


Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Nossa Sali,eu li alguns contos do Poe,mas não esses que você citou,queria tanto ler A queda da casa de Usher,mas não tinha achado nenhum lugar onde ler,agora eu já posso,obrigada <3
    Amei o post :D
    Beijos ^.^
    Jenny,Little Wonders (littlewonderscrm.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
  2. Eu sou louca para ler alguma coisa do Poe, mas sempre ficava em dúvida sobre qual conto ler primeiro, mas agora acho que vou começar lendo um desses contos que você citou. Coração denunciador foi o que mais chamou a minha atenção.

    Epílogo em Branco

    ResponderExcluir
  3. Eu comecei a ler esse livro e achei muito diferente de tudo que já tinha lido algum dia. Mas por motivos de mudança ele foi guardado em uma caixa de papelão de depois não dei mais atenção ao coitado. Você me deixou com vontade de pegá-lo novamente. Já vai pra lista de livros de 2017 :)

    ResponderExcluir
  4. meu preferiro é o conto o corvo.
    amo o Poe <3
    amei o post
    http://dose-of-poetry.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©