28.3.16

Desafio 24 filmes: Diário de Bordo de Uma Viagem à Infância (Mundo da Lua - O Documentário)

28.3.16
Foto: Divulgação


Sou dessas que odeia ler post com a(o) blogueira(o) começando a pedir desculpas pelo atraso. Mas como eu apareço aqui na cara dura depois de um mês? Enfim, não sei o que anda passando ultimamente, tenho várias ideias para posts, sempre penso no blog, sempre quero escrever, mas daí sento na frente do pc, faço um milhão de coisas, e aí a vontade passa...

Falando de coisas mais importantes:

Um dos desafios dos quais estou participando e que está beeeem desatualizado da minha parte é o 24 filmes para 2016, proposto pelo Blogs Que Interagem. Como já devo ter dito anteriormente, trata-se de vermos dois filmes por mês com temas pré-estabelecidos. Acho que esse ainda deve ser o segundo, mas não é a falta de ver filmes que tem me empacado, muito pelo contrário, é o desânimo mesmo. Tenho várias resenhas acumuladas.

Um dos temas do desafio é DOCUMENTÁRIO. Confesso que comecei a ver vários para escolher um sobre o qual considerasse valer a pena falar, no entanto não avancei muito. Ate tinha começado um lindo sobre a vida do Sinatra na Netflix; tinha começado a rever uma coleção sobre a História do Rock'n'roll que eu amo... Mas, um dia desses, de bobeira no facebook, vi um link falando sobre um documentário de apenas 25 minutinhos sobre a série Mundo da Lua. Aí meus olhos se encheram de água, porque fui tomada daquela nostalgia infantil e não teve jeito: era sobre ele que eu falaria e PRONTO!



Foto: Divulgação


Para quem não sabe Mundo da Lua foi um seriado brasileiro produzido e exibido pela TV Cultura, criado por Flávio de Souza e protagonizado por Luciano Amaral, exibido originalmente entre 6 de outubro de 1991 e 27 de setembro de 1992, totalizando 52 episódios. Nessa época aí eu tinha uns sete, oito anos e esse era de longe meu programa preferido da vida. Acho que é meu programa preferido até hoje.

A história do seriado estava centrada na vida da família Silva e Silva, especialmente no filho caçula, o Lucas, quando ele ganha um gravador de seu avô e passa a usá-lo para contar vários acontecimentos da sua vida como gostaria que tivessem acontecido. Eu achava o máximo quando ele começava com Alô, alô, planeta Terra chamando e quando terminava dizendo que no mundo da Lua era onde tudo pode acontecer

Toda a estrutura do seriado é muito simples, sem deixar de ter qualidade, e gira em torno de uma família como qualquer outra, então para uma criança se identificar com o Lucas era muito fácil. E eu me identifiquei de cara. Gostava muito, em primeiro lugar, de ver como era fértil a imaginação do garoto (assim como a minha xD) e de como a realidade com a qual ele estava insatisfeito era recriada no Mundo da Lua, mas terminava saindo do seu controle graças à própria complexidade dos fatos e, no final das confusões, o garoto saía transformado por aquela experiência vivida no plano das ideias.

Foto: brasileirissimos.xpg.uol.com.br


Pra mim, particulamente (pleonasmo enfático xD), esse plano das ideias meio que competia em pé de igualdade com o mundo real na minha infância, então todas as experiências por que passei ali fizeram muita diferença. E ver que o Lucas também era desse jeito me fazia me sentir menos sozinha.

No entanto, por mais que a história girasse em torno dele, todas as personagens eram bem trabalhadas e refletiam uma família comum de classe média que tentava sobreviver no mundo, economizando, pagando imposto, trabalhando e tentando educar os filhos, transformando-os em pessoas decentes. Eram bons pais, boas pessoas, e mesmo assim os desafios eram muitos. O que também nos diz que é possível contar boas histórias com pessoas "comuns" sem que elas sejam problemáticas e estranhas na vida xD.

Enfim, o documentário recupera essa atmosfera revelando os bastidores da série, trazendo a voz dos atores, produtores e diretores. Revela a "fórmula" do sucesso estrondoso que o seriado teve na época, chegando a ser exibido na Rede Globo (coisa que eu nunca mais vi depois na vida). Mostra, ainda, a felicidade do pessoal em reviver um pouco desse seriado, que ainda é exibido no canal Rá-Tim-Bum, mas sobre o qual já não se fala muito.

Quem acompanhou as aventuras da família Silva e Silva vai se emocionar muito vendo esse documentário, assim como eu me emocionei.

Vale lembrar que o vídeo foi produzido em 2014 pelos alunos da Universidade São Judas Tadeu como trabalho de conclusão de curso, sob a orientação dos professores: Cesar Zamberlan, Christian Pelegrini, Sandra Vita e Silvia Cavalli.

Deixo o vídeo incorporado:








Vocês conhecem o seriado? Já tinham ouvido falar? Gente, eu juro que vou iniciar uma nova era nesse blog e responder todo mundo e visitar o blog de todo mundo ok? Vou buscar em vocês o ânimo que me falta xD.

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Eu assisti esse documentário com lágrimas nos olhos!! Muita nostalgia <3 Mundo da Lua também marcou minha infância e minha vida!! Somente sinto muita saudade desse seriado! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E num é? Eu quando abri o link, quando o Luciano começa com a frase clássica no vídeo, meus olhos encheram de água kkkkk. E daí você vê que a simplicidade que aparecia no resultado era porque os bastidores estavam preocupados em fazer algo legal que transmitisse alguma coisa.

      Ai, já tô chorando de novo aqui XD

      Bjo, minha querida!

      Excluir
  2. Me lembro do nome mas na época eu estava na minha adolescência e não tinha o costume de assistir seriados.rsrs Muito interessante teu post! Gianfrancesco Guarnieri oooo saudades, um ator maravilhoso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkkkk
      Se eu estivesse na adolescência, também duvido muito que veria o seriado kkkkk.
      E, sim, o seriado contou com atores muito bons, dentre eles, o Guarnieri, que vai deixar saudades =)

      Obrigada pelo comentário e pela visita, minha querida!
      Bjooo!

      Excluir

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©