2.2.16

Vitrine viva

2.2.16


Observava-a por detrás do vidro opaco: ela subia, descia, meneava o quadril e tirava uma peça de roupa. Não olhava para mim, e sabia que tampouco eu a via. Nossos olhos, virados para dentro, entorpecidos, sobravam em nós que transbordávamos em explosões que avançavam e destruíam e destruíam. 

Para aplacar os ruídos, ela se torcia sob a luz, lânguida como a música, e eu, braguilha aberta, movimentava minhas mãos mais rápido e mais rápido e mais rápido até o desespero, até acompanhá-la em contorções e ejacular no vidro.

Mas, naquele dia, o derradeiro, seus olhos se viraram para mim, atônitos e invejosos, diante do líquido cromado, pintando de nova cor a vitrine que nos separava: a última coisa que vi antes de fechar os meus para sempre. 

"Três anos assistindo-a [...]. E talvez uma parte de mim [até]  tenha se apaixonado por ela, pois queria que ela soubesse quem eu era. Até que ela soube."


Este post foi parte do projeto "+QP | mais que palavras"

Confira outros posts com o mesmo tema:




P.S: A imagem foi originalmente retirada do blog  https://polebliss.wordpress.com e editada por mim

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Uau. Que cena inusitada para o tema. Conto curto, bem escrito e impactante. Adorei mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Gosto do seu estilo de escrever, intenso, condensado. Sempre fico "suspensa!"

    ResponderExcluir
  3. E não é sempre assim? A necessidade de ser reconhecido, no entanto o medo que vem com isso tambem? Que ótima forma de captar o tema, bem o seu estilo mesmo! Ótima escrita!
    Ei, eu te indiquei numa tag, acho que tem tudo a ver com o seu blog http://mesadecafedamanha.blogspot.com.br/2016/02/tag-recomendacoes-literarias.html

    beijo grande

    ResponderExcluir
  4. Ui!Adorei! Também gostei muito da imagem, seria um poli dance? Seria uma stripper? Rolou de tudo aí, que sensações... bjs

    ResponderExcluir

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©