25.2.16

Para onde vai o amor?

25.2.16


Talvez conseguisse cercá-lo. Talvez restasse algo de puro no meio daquele inferno.

Para isso, fechou as portas e janelas. Todavia, ele podia escapar pelas luzes das frestas, guias multicoloridos. Então selou todas elas, até não haver mais maneira de contato com o mundo exterior.

Ainda, a casa era ainda muito grande, o que o tornava muito pequeno. Então enrolou-se sobre si mesma, fechou as mãos, os olhos e a boca.

E tudo o que viu foi escuridão. 

Para onde ele tinha ido? 
Para onde ele costuma ir?


Este post foi parte do projeto "+QP | mais que palavras"

P.s: Eu devo ter um sério problema, porque não consigo levar nenhuma proposta de acordo. Mas, enfim, vale pelo exercício xD



Confiram os posts de que eu mais gostei sobre o mesmo tema:

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Pois eu adorei! Texto curto e repleto de significados. Parabéns! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Amei o texto, curto, mas consegui sentir a intensidade dele.
    Obrigada por ter me indicado <3

    bjs http://ohwowlvly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Texto breve mas intenso... Achei lindo e poético. Conhecendo seu blog aos poucos, e me deliciando com tantas coisas lindas que estou vendo por aqui. Parabéns! bjs

    ResponderExcluir
  4. E o que eu vivo falando, os textos pequenos são repletos de significados. Eu amei, texto super profundo.
    contraomundoo.blogspot.com

    ResponderExcluir

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©