3.1.16

4 erros de português que me irritam na blogosfera

3.1.16



Sou daquelas que defende a existência de contexto adequado para tudo: tem a hora de "falar errado", a hora de "falar certo", a hora de "escrever errado" e a hora de "escrever certo". Também defendo licença poética, sou a que mais defende. E acho, ainda, que a gente pode ser informal sem matar a gramática. Por isso, para mim, um blog nunca foi lugar de "escrever errado" (no sentido de ir contra as regras da gramática padrão), seja ele pessoal, de viagem, de moda e beleza, de decoração. Se não houver um propósito na escrita "diferente", não é lugar. Se houver propósito, aí você estabeleceu o contexto de uso =*

Óbvio que muitas vezes a gente escreve na pressa, e nem sempre as coisas vão ficar como a gente quer, porém isso não pode servir de desculpa para gramática ruim e para erros de concordância. Uma dica é sempre revisar com cuidado o texto mesmo depois de escrever e publicar. Ler o post várias vezes e, de preferência, em dias alternados. Com isso a gente vai notando uma série de inconsistências e pode se aperfeiçoar mais e mais.

Porém, muitos blogueiros, muitos mais do que deveriam existir na blogosfera, cometem erros que me assustam, para dizer o mínimo. Isso porque o meu "enfoque" de leitura é blog literário, 'magina... 



Mas, tia, vou deixar de escrever, então?

Não, né, pessoa querida, você pode escrever enquanto estuda português, por exemplo. Com certeza, uma coisa vai ajudar muito a outra, e todos nós poderemos ficar felizes. Inclusive seu blog. E seus leitores. Amém. 


No entanto, se você não sabe por onde começar, enumero abaixo os 4 erros que mais vejo e que mais me irritam na blogosfera. Vou também linkar textos que podem ajudá-los a acabar com eles, quando for pertinente.


 1. O(a) mesmo(a) como pronome


(Obs.: vim para este planeta com a missão de acabar com esse uso horroroso)


O blogueiro está lá escrevendo o texto para postar: "Joãozinho é um cara legal. Ele sabia o que queria da vida, assim que resolveu trabalhar muito em prol do seu objetivo. O que João..." não, pera, não posso repetir "Joãozinho". Também não posso repetir "ele" porque já escrevi demais. OMGFGLKJF o que eu faço? Ah, já sei: "O que O MESMO não sabia..." Agora ficou lindo, ficou pomposo, ficou formal, ficou sucesso...

Ficou nada disso. Ficou ERRADO.


Ain, tia, não pode falar "errado", porque não existe "erro" na língua.


Já especifiquei o contexto, né? Então, de acordo com o contexto que especifiquei, está errado, sim. Além do mais, quero um efeito mais impactante xD.

A gramática padrão não aceita esse uso do "mesmo" como pronome. O que é um pronome? É uma palavrinha que a gente usa para substituir o substantivo.Tudo que dá nome para uma coisa que existe, é um substantivo. 


Esperaa! Agora me perdi totalmente!


Vou começar do começo para você:

Quando a gente usa o mesmo/a mesma?

1. Quando quer expressar a ideia de “justamente, até, ainda, de fato” (ele vai funcionar como "adverbio", se vocês quiserem saber a palavra "elegante" para o caso)

Ex:
Foi aqui mesmo que aconteceu o acidente.
Esse restaurante é bom mesmo?

2. Quando quer expressar a ideia de "mesma coisa" (aqui ele vai funcionar como "substantivo")

Ex:
Ele falou o mesmo que você.

3. Em expressões similares a "tanto faz".

Ex:
Para mim, ir ou ficar aqui dá no mesmo.

4. Quando quer expressar a ideia de "idêntico", "igual", "ele/a próprio/a" (aqui ele se define como "pronome adjetivo").

Ex:
Ela falava consigo mesma.
Ele mesmo quis fazer isso.  

5. Também pode usar "o/a mesmo/a" como conector de frases com ideia de oposição (concessão).

Ex:
Mesmo longe, estou contigo.
Ele queria muito falar com ela, mesmo ela não querendo olhar para a cara dele.

Muito simples, verdade? Então, a partir de agora, frases como

 “O réu foi até à vítima e falou com a mesma”;
 “Consultou tais autores, e os mesmos lhe indicaram a adequada solução” ;
“Designada a audiência, compareceram à mesma todos os interessados”.

vocês vão riscar da mente. Todo mundo faz parte do meu exército na missão contra esse uso do "mesmo". Pronto, não tem escapatória!


Mas como eu posso escrever essas frases acima corretamente?


“O réu foi até à vítima e falou com ela”;
“Consultou tais autores, e estes lhe indicaram a adequada solução”;
“Designada a audiência, compareceram a ela todos os interessados”.

Ou seja, o mais simples é o correto. Optem pelo mais simples.


********


2. Verbos no infinitivo sem "r" no final


"Ela não quis mais fala com ele, então ele resolveu não olha mais para ela".

Eu leio assim (considere as letras maiúsculas a parte forte da sílaba): Ela não quis mais FAla com ele, então ele resolveu não mais Olha para ela.

Gente, isso me dá o que aqui em Minas chamamos de "gastura". Sabe aquela sensação de ter seus dentes dilacerados quando alguém arranha o quadro negro? É isso! 

Todo verbo no infinitivo, ou seja, em sua forma nominal, ou seja, grosso modo, quando ele não está conjugado, tem um "r" no final. Por favor, salvem meus dentes.

Por via das dúvidas, a frase deveria ser:

"Ela não quis mais falaR com ele, então ele resolveu não olhaR mais para ela".

********

3. Verbos conjugados na 1a pessoa com "r" no final


Ontem eu decidir começar vida nova (ou, fazendo a versão a completa: "Ontem eu decidir começa vida nova".)

O "r" que engoliram do infinitivo foi vomitado aqui na conjugação do "eu". Por que, gente? Se ali em cima vocês decidiram comê-lo por causa da sílaba forte, aqui não deveria seguir a mesma lógica?

E eu, hein! Tenho explicação para isso, não!

A frase seria:

Ontem eu decidi começar vida nova.

Aqui fizemos várias aulinhas sobre verbos, várias:
01, 02, 03, 04, 05, 06


********


4. Separar sujeito de predicado e verbo de objeto com vírgula




Não sei se já explicaram isso para facilitar a vida de vocês, mas a estrutura básica da língua portuguesa é: SUJEITO + VERBO + PREDICADO. Quando eu uso uma frase com essa estrutura, ela é escrita lisinha, sem nenhuma vírgula, porque todos os elementos estão ordenados de acordo. Agora, quando eu troco os componentes de ordem ou começo a colocar acessórios no meio dela (como uma explicação, por exemplo), aí, sim, eu começo a usar vírgulas para marcar as relações sintáticas entre os termos.

Enfim. Talvez por influência das tias que dizem que "vírgula é respiração", a grande maioria esmagadora dos blogueiros tem o péssimo hábito de separar o sujeito de predicado. Assim, vejo direto:

Eu queria, era saber escrever melhor.
Minha tia e eu, saímos de carro pela cidade.
Vocês não acreditam! Ontem, meu irmão e eu, saímos loucos correndo pela rua.

Dei uma complicada na última, porque as duas primeiras podem estar muito elementares. 


Ain, tia, mas como eu vou saber o sujeito de uma frase?


O sujeito de uma frase é sobre quem ou o que a frase fala. Pronto.

Assim, a primeira fala de "eu", a segunda fala da "minha tia e eu" e a terceira fala do "meu irmão e eu". E nenhuma delas deveria ter vírgula depois do sujeito.

Eu leio a frase fazendo essas pausas, e é irritante xD.


Também fizemos vááááárias aulas sobre vírgula, melhores aulas, gente, sério:
01, 02, 03


********


Sei que acabei falando de equívocos muito elementares, mas acho que valeu para começar.

Se vocês quiserem que eu fale de algo específico, apenas me contem nos comentários que falo, sim.

Ps:

Ajudaram-me a escrever este post:

Comente com o Facebook:

34 comentários:

  1. Aquele momento que você agradece por ter um blog desses na sua aba de favoritos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee!
      Nha, que isso, eu que agradeço ter você entre as minhas leitoras. Uma honra =)
      BJooO!

      Excluir
  2. Sali, você é minha alma gêmea. Obrigada por existir, obrigada por não me deixar ser a única no mundo, haha. Amei amei amei o post e amei seu blog. Beijos, linda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieee!
      Um beijo pra você, minha querida, e obrigada pela leitura <3
      Bjos e mais beijos!

      Excluir
  3. Amei as dicas!!!
    Também fico um tanto quanto inconformada com a quantidade de erro bobo solto pela internet.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee!
      obrigada pela leitura e pela visita!
      E, sim, não custa nada a pessoa estudar um pouquinho, né, com internet e tudo o mais, não tem tanta dificuldade assim xD

      BjoO!

      Excluir
  4. Oi, Salieri!

    Verbos infinitivos sem o r me dão vontade de "chora" (rs), mas nada me deixa mais nervosa do que o concerteza. E sim, já vi em vários blogs :(

    Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha
      Oi, minha querida,

      Sim, da vontade de chora mesmo kkkk. Acho que se a pessoa colocasse um acento no a ajudava mais do que deixar assim kkkk.

      Bjoo!

      Excluir
  5. Sali, abafa por que eu usei muito e não lembro se usei recente "o mesmo" hahaha Verbos sem r me dá vontade de corrigir.
    Eu tenho problema com vírgulas, no meu pensamento eu dou pausas sabe? Ficaria com sentido se fosse num vídeo por que é como se eu tivesse falando. Mas tentarei mudar isso tambémmm! Obrigada pelas dicas, com certeza vai ajudar mais gente hehe Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De boas, minha querida, porque todo ser humano usa o mesmo, povo da Universidade, professor, autor de livro. Normalz. Provavelmente em breve vai entrar o uso dele para a gramática, mas esse dia não será hoje e eu acho esse uso simplesmente horrível. De todos os modos, não tem como culpar ninguém de usar, porque, afinal de contas, quem nunca entrou num elevador que não estava escrito "Antes de entrar neste elevador, verifique se o mesmo não está parado neste andar" =S

      O importante é aprender todos os dias <3
      BJo!

      Excluir
  6. Depois de ler esses quatro erros, confesso que algumas vezes, se não todas, usei "o mesmo" de forma errada. hahahaha. Graças a blogs como o seu, sempre estou em evolução constante.
    Mas me diga uma coisa, quem não fica com "gastura" nos dentes quando se depara com textos ao ler textos com verbos sem 'r'. "Ri pra não chora" hahaha
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Talis =D

      Como eu disse pra Lah aqui em cima, infelizmente a grande maioria esmagadora das pessoas usa o mesmo com essa função, então não tem jeito de cobrar. Quem nunca entrou no elevador e não viu: "Antes de entrar neste elevador, verifique se o mesmo não está parado neste andar", né? E isso está em vários livros teóricos, vários artigos de professores e panz. Mas que não deveria ser usado, não deveria. E, como eu disse no post, minha missão nesta Terra é atentar o pessoal para esse uso kkk

      Beijo, obrigada pela visita =D

      Excluir
  7. Nossa Senhoraaaa!! Muuuuuito obrigada!!
    Todo meu apreço por sua pessoa quadruplicou neste momento.
    Eu super te ajudaria a escrever esse post, inclusive. A lista de coisas que me irritam na escrita das blogueiras por aí é infinita...(tem, inclusive, um tiquinho no meu post atual! kkkkk)

    Beijo, obrigada de novo e feliz 2016!
    P.S: no próximo post, fala por favor do "tem/têm", "a ver/haver", "a/há" e, PELAMORDEDEEEEEEUS, "o emprego da crase"? Agradecida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba oba oba, sugestões <3
      Adoro! Anotei todas, falarei sobre elas <3

      Vou ver seu post, porque: LÓÓÓÓgico *-*

      Bjo, valeu demais pela visitaa =D

      Excluir
  8. Sali, amei o post. As dicas me ajudaram bastante, confesso que ás vezes acabo errando coisas básicas e agora vou prestar mais atenção agora!

    ~ http://www.umdiarioquasenormal.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, fico feliz em ser útil =D
      Um beijo grande e obrigada pela visita e por me deixar saber que ajudei em alguma coisa <3 <3 <3 <3

      Excluir
  9. Adorei o post! Fui sentindo uma vergonha durante a leitura porque sou culpada de já ter usado "o mesmo", além de adorar enfiar vírgula em tudo, hahaha. Vou prestar mais atenção!

    Beijos!
    Vestindo o Tédio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, minha querida <3
      Então, em primeiro lugar, obrigada pela visita =D
      Muita gente usa "o mesmo", não se sinta culpada. E não é qualquer pessoa, são os profs da faculdade, os jornalistas e panz. irrita muito xD e deixa a gente confuso, porque a gramática fala que não pode, pra, de repente, a gente ver no livro de teoria que tá lendo. Mas não pode, tá, quem escreve, escreve errado mesmo XD. Algum dia isso ainda vai entrar para a gramática, mas esse dia não é hoje e eu lutarei até a morte contra ele, porque acho ruim de ler kkkkk. Mas os profs e os autores têm culpa, as pessoas do dia a dia, não xD

      Bjooo!

      Excluir
  10. Bravo, Bravo! Salieri! Você arrasou! Então, uma coisa é a oralidade, o coloquial. Eu fiz parte da Cbblogers durante 2013/14 e a minha editora repetia muitas vezes e até me devolvia textos pra eu corrigir, pra que ficassem mais coloquiais, uma "conversa" com o público. Eu muitas vezes ficava pau da vida, mas fui entendendo que você conseguir transmitir a sua ideia de um jeito gostoso, que o leitor fosse se envolvendo. Agora, outra coisa é erro, é desleixo e infelizmente, isso a gente tem visto muito blogosfera afora. A galerinha tem que saber, perceber o valor de escrever correto, que isso só vai ajudar o trabalho deles, que um leitor que realmente quer buscar conteúdos diversificados muitas vezes não vai tolerar certos erros, que sim, são sinais de desleixo e não aquele erro que a gente acaba cometendo uma vez ou outra (eu mesmo, tenho que recorrer a sites de gramática pra me resolver com o uso dos porquês, por ques...)
    Enfim, isso é um grande serviço de utilidade pública que você está prestando. Todo mundo deve ler isso.
    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembra que você deu a sugestão de falar sobre isso em um projeto do B.Q.I? Então, eu saí do B.Q.I, mas quis manter a promessa do projeto, daí que o trouxe para meu blog. Prometo sempre falar sobre dicas de português, porque é minha área, é minha vida e eu amo mesmo <3.

      Enfim, concordo com tudo o que você disse, e acho que a gente pode ser coloquial, manter um tom próximo do nosso leitor sem matar a gramática kkkkk.

      Vamos que vamos =)

      Bjoooo!

      Excluir
  11. Confesso que já usei 'o mesmo' equivocadamente várias vezes. Ainda tenho esse vício, por que normalmente e assimque eu falo - é eu falo errado... 😐 - mas procuro não escrever dessa forma no meu blog. Mas as vezes escrevo errado de propósito quando o texto ou personagen pede e nesse caso o personagem é quem manda. Loucuras a parye, também tenho raiva quando encontro um verbo no infinitivo sem R . Da uma sensação estranha quando a gente vai ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, fiota =D

      Sim, como eu costumo dizer, várias pessoas se equivocam o "mesmo", é normal. Gente que não devia se equivocar, se equivoca também. Enfim, o importante é aprender e não voltar a cometer o erro ^~
      Mas te entendo totalmente quando você contextualiza a questão do diálogos das personagens, aí é uma proposta estética ^~.

      Bjo, obrigada pela visita <3

      Excluir
  12. Adorei Sali!!! Eu tenho bastante dúvida com as vírgulas. Quanto ao resto até pode acontecer, mas de certeza que foi algo sem querer, hehehehehehe.
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee =D
      Obrigada pela visita, sua linda =D

      Sim, a questão da vírgula é um assunto meio tenso mesmo. Mas tenho quase certeza de que depois de dar uma olhadinha nas aulas que eu disponibilizei, dá pra dar uma desanuviada =D

      Bjoo!

      Excluir
  13. fico doida com erros de português tbm hahahaha
    Tem posts novos no BLOG veeeem :) http://www.signoritablog.com/
    bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee, obrigada pela visita e que bom que você curtiu o post =D
      BJoo!

      Excluir
  14. Oi Salieri, super útil sua postagem. Tô até com medo...!
    Gostei muito mesmo das explicações no item 4 e sugiro umas aulinhas sobre "crase."
    Honra ter você como parceira, obrigada.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, falarei sobre a crase! Obrigada pela sugestão, minha querida ♥

      Excluir
  15. Sali minha flor! Adorei o post ficou muito interessante e acho que pra quem está interessado em acertar seu post é aquele presente que veio dos céus! Confesso que a primeira questão que você abordou sobre "mesmo" eu não sabia. Sério! Primeira vez que ouvi falar que escrever desta forma é errado. A última questão sobre as vírgulas é uma das coisas que tenho tentado ajeitar, mas nem sempre consigo.

    Adorei as dicas e com certeza vou espalhar por aí!
    Beijocas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee *0*

      Então, essa coisa do "mesmo" é bem tensa mesmo, ainda mais quando você vê os profs na universidade escrevendo. Eu já travei uma batalha imensa na faculdade por causa disso, e em vez da pessoa falar "ok, é isso mesmo", não, inventa umas 200 mil justificativas pra continuar fazendo a mesma coisa. Enfim, cada um com suas loucuras. xD

      Bjo, minha querida! Obrigada pela visitinha <3

      Excluir
  16. Acho que o que mais tem me irritado, e que não foi citado, é a troca de mais/mas. Dá muita gastura mesmo (porque tbm estou em Minas! hahahaa)
    Eu não sabia que "mesmo" era errado nesse contexto. :-O

    Infinitos Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EXCELENTE sugestão, estou anotando tudo para tratar da próxima ♥
      E sobre o "mesmo", resolvi falar porque muita gente escreve mesmo, até os nossos professores. Provavelmente isso vai ser absorvido pela gramática um dia, mas enquanto esse dia não chega, eu luto contra ele xD.

      Bjo, minha querida, obrigada pela visita ♥

      Excluir
  17. Como aluna de letras, adorei o post, muito explicado e deixou bem claro a noção de erro. Eu não gosto quando a pessoa não coloca nenhum acento na postagem do blog, mas dos erros mencionados, os últimos são os que mais vejo.

    ResponderExcluir
  18. Oi! amei seu blog, entrei aqui esperando corrigir os vários erros que cometo escrevendo, e você me ajudou bastante!
    Poderia me dizer se fez uma aula falando da crase? ( `)

    ResponderExcluir

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©