26.1.16

[24 FILMES #1] A volta de Roxy Carmichael - 1990

26.1.16


Finalmente fazendo um post sobre o desafio 24 filmes para 2016, isso porque eu deveria estar terminando outra coisa muito diferente e muito importante u.u, decidi escolher o tema dos anos 90 e fazer um post sobre esse filme mara que eu amo, que já vi 350 vezes (e vi de novo pra escrever esta resenha), que achei pra baixar e não tinha legenda, então fiz a legenda, enfim, um filme que marcou minha infância e que até hoje me marca. Não é da sessão da tarde, mas é da BAND, de quando ela passava coisa boa xD (verdade que vi muitos filmes bons na emissora em sua época áurea). 

Para contextualizar, a sinopse:

Após 15 anos em uma pequena cidade de Ohio, Roxy Carmichael (Ava Fabian), uma celebridade, vai retornar à sua cidade natal. Tal acontecimento provoca uma certa excitação em grande parte dos habitantes, incluindo Denton Webb (Jeff Daniels), seu ex-marido. Mas é Dinky Bossetti (Winona Ryder), uma adolescente que foi adotada e que é ignorada pela maioria dos seus colegas, que é a mais afetada por tal fato, pois ela acredita ser a filha secreta de Roxy. Fonte: adorocinema.com


Se fosse para resumir o filme em uma frase ou imagem, seria: uma vida baseada em






Ou seja, a história do filme é sobre como a vida pode ser destruidora com as nossas expectativas, porém o mundo real, por sua vez, pode não ser um lugar tão ruim. 

Na história, temos a Roxy, uma adolescente que, em busca da fama, deixou toda sua vida para trás, incluindo um marido e uma filha bebezinha. Não que ela se importasse com isso xD. E sua decisão rendeu frutos, pelo menos para o povo da sua cidade, porque um rockstar escreveu uma música sobre ela . Isso animou tanto sua cidadezinha natal que Roxy se tornou a principal celebridade do lugar, inclusive com sua casa transformada em um museu.

E quando ela decide retornar à cidade, os habitantes ficam loucos. Crianças são liberadas mais cedo das escolas e um mutirão é convocado para organizar um baile de boas-vindas.

Essa notícia mexe de forma particular com duas pessoas: o ex-marido  da Roxy, Denton (interpretado pelo lindo do Jeff Daniels, adogo), e a Dinky, que é uma adolescente adotada por um casal da cidade e nunca se sentiu parte de nada. Cruzando os dados na sua cabeça, ela tem certeza de que a Roxy é sua mãe e está retornando à cidade para buscá-la.




Eu gosto do filme por muitas razões. Primeiro esse jogo que eles fazem com a Roxy. Até o dia do baile, ela ronda o local como um espírito, pairando sobre todos os habitantes. E isso faz com que ela ocupe um lugar na mente das pessoas que usam-na para preencher os mais diversos vazios: a mãe, a esposa, a amante, a amiga, a inimiga ideal... Enfim. A gente mesmo é incapaz de saber se alguma dessas pessoas tem razão e o palpite mais certo é que provavelmente nenhuma tenha.

Mas, como falei acima, o seu retorno atinge duas pessoas de forma mais profunda: 

O Denton aparentemente reconstruiu sua vida, está casado e é pai, mas o rancor ainda é muito grande e ele fica a todo momento tentando esconder a mágoa por ela ter ido embora e nunca mais dado satisfação. No entanto, se existe ódio, rancor, é porque existe sentimento, né?, e isso vai vindo à tona ao longo da história, principalmente no vínculo que ele estabelece com a Dinky. A indiferença disfarçada cada vez mais dá lugar a uma esperança do retorno dela, como se isso fosse capaz de curar toda a rotina em que ele vive e fosse trazer de volta um passado glorioso. Mas a pessoa que ele almeja é mesmo a Roxy ou um monte de "e se" que ele acumulou ao longo de vários anos?

Com a Dinky passa algo muito semelhante, daí o que motiva o vínculo dos dois. Ela é uma adolescente que não se sente parte de nada, não se sente parte da sua família, nem da sua casa, nem da escola. E ela exterioriza isso no visual, de modo que só anda com roupas masculinas e despenteada para tudo quanto é lado (nem vou falar que eu era igualzinha quando da idade dela kkkk) para desespero dos seus pais que são o exemplo da "família tradicional".


Mas, em vez de se debulhar em mimimi, ela assume sua diferença. Sabe que não tem nada a ver com seus colegas, que suas preocupações são outras e não se importa com o que pensam dela. Acho que esse é o diferencial da história. E, assim, isso é mostrado numa sequência de cenas que faz a gente querer entrar dentro da tela e ajudá-la.

No final das contas, sobre a Dinky, acho que o legal é que a questão toda não é sobre a aparência dela, mas a aparência é um símbolo para a própria descoberta de si mesma. E a esperança que ela tem no retorno da Roxy, como parte de algo que vai lhe libertar daquele mundo horrível em que vive é o que a conecta consigo mesma mais além dos seus problemas existenciais.

Já falei sobre a Dinky neste post AQUI. Não quero ser muito repetitiva nesse ponto.

Dinky no quarto da Roxy


Mas, pensando aqui agora, ela e o Denton se apresentam como duas faces da mesma moeda, ele com os olhos virados para o passado e ela, para o futuro. Mas ambos estão no mesmo nível das expectativas e... lembra do meme do início do post. 

Enfim, A volta de Roxy Carmichael é um super filme dentro do que se propõe. A maneira como os tipos são trabalhados, e de como a Dinky costura tudo isso é muito interessante. Sem contar o andamento do enredo, com o anúncio da vinda da Roxy, a proximidade da chegada dela e o "grande dia", tudo num progressivo muito bem amarrado, sem deixar de cuidar da evolução das personagens ao longo de tudo isso. E por mais que eu tenha falado de poucos, há vários no filme que têm suas participações especiais e são às vezes muito bem trabalhados em pouquíssimos minutos.


Como essas duas aqui, por exemplo.


E o final, genteee, que final! É uma das coisas que eu mais amo sobre essa história!

Vou deixar o trailer fan-made que deixei no post em que falei sobre a Dinky




Avaliação: 



Ficha técnica: 
Lançamento: 1990 (1h35min)
Dirigido por: Jim Abrahams
Com: Winona Ryder, Jeff Daniels, Carla Gugino
Gênero: Comédia dramática
Nacionalidade: EUA

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Como sempre, fazendo excelentes escolhas...Parabéns!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho esse filme muito legal, Sandra, ainda quero deixar a legenda aqui para as pessoas baixarem-na e aproveitar essa lindeza =)

      Excluir

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©