4.8.15

Anthonio

4.8.15



Um dia, estou eu aqui em Uberlândia com uns amigos, passávamos por uma praça onde acontecia um evento e, de repente, estanquei no lugar em que estava porque me era impossível mover dali, diante de um som que me hipnotizava. 

Foi exatamente assim que conheci o Anthonio: ele fazendo uma releitura mineiríssima de Aquarela do Brasil. Isso foi em 2004, desde então, não pude mais me desgrudar desse cantor ninjíssimo e pessoa mais ninja ainda, se for possível.

Alguns dados básicos sobre ele:


Cantor e compositor mineiro, de Divinópolis, Anthonio tem um currículo que impressiona, não só pelo volume de trabalho, mas sobretudo pela qualidade dos espetáculos e parcerias.  
Em sua trajetória, Anthonio já dividiu o palco com importantes nomes da música brasileira como Elza Soares, Baby do Brasil e Milton Nascimento, com quem seguiu em turnê pelo Brasil destacando-se como solista do espetáculo “Tambores de Minas”.  
Entre vários trabalhos significativos na carreira de Anthonio destaca-se a interpretação no espetáculo da premiada trilha sonora do filme “O Viajante”, de Túlio Mourão; a “Missa dos Quilombos” (RJ) de D. Pedro Casaldáliga e Pedro Tierra e a ópera popular “A Fogueira do Divino”, de Tavinho Moura e Fernando Brant, além de suas apresentações em Festivais internacionais em Cuba, Itália e Portugal.  
Em 2001 lançou seu primeiro cd solo, "Anthonio", dirigido por Antônio Villeroy e Gastão Villeroy composto por canções produzidas em Minas Gerais por artistas de várias gerações 
Em 2002 participou como cantor do Bloco de Percussão do Tambolelê da Festa Gentileza, considerada a maior festa de rua de Belo Horizonte. 
Em 2003, após apresentação de Mike Parsons, um dos melhores djs e produtores do tech house inglês, Anthonio apresentou-se ao lado de Humberto Seu Cabelo e dj Menorah, antecedendo o dj Anderson Noise. Ainda em 2003, interpretou ao lado de Babaya as canções do álbum “O Velho Chico”, produzido por Marcus Viana e Nestor Sant’Anna.
Em 2004, Anthonio lançou o álbum "Candombe System", produzido por Ruben di Souza. Mesclando tambores à música eletrônica, em Candombe System Anthonio dá um novo tom à música das Gerais. Em 2008, o álbum “Bricabraque”, onde interpreta canções do escritor e compositor Antenor Pimenta. Em 2011, Anthonio segue em turnê de seu quinto cd de carreira, “Amor, de Toda Forma”, lançado em 2.009, compartilhando este projeto com grandes nomes da MPB como Telo Borges, Luis Melodia, Maria Gadú, Sideral, entre outros, expressando sua musicalidade brasileira dentro de uma visão contemporânea para falar de todas as formas de amor, através da elaboração dos arranjos belíssimos produzidos por Ruben di Souza. 
Ainda em 2011, em parceria com o pianista Bernardo Rodrigues, dá seqüência a sua turnê “Água, pai e céu”, iniciada em 2.010, com shows importantes no interior de Minas, participando do Festival Internacional de Corais em Mariana e Projeto Dois Duos, na sala Vila Lobos no Teatro da Biblioteca Nacional em Brasília, além do relançamento do musical “Rosariando” ao lado do Grupo Oficina 33, entrelaçando bonecos congadeiros e melodias trançadas em fitas de cetim.  
Em 2012, finalizando a turnê “Amor, de toda forma”, anthonio abriu os shows das bandas Detonautas, Marcelo Camelo – Los Hermanos, as bandas O Rappa, e Paralamas do Sucesso. No mês de maio, foi solista do espetáculo “Concerto Centenário” em Divinópolis, e projeto “Música no Parque” em BH, ambos acompanhado pela Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, com direção de Túlio Mourão. Em junho ministrou Oficinas de Arte, Oficinas de Técnicas vocais capacitando professores arte educadores e revelando novos talentos na cidade de Divinópolis, e ainda foi homenageado e fez o encerramento do espetáculo “100 PERDER O TREM”, contando a história do centenário de sua cidade natal, ao lado de 400 crianças , produzido pelo Projeto Fazendo Arte, de Divinópolis, projeto de premiação internacional como o maior projeto de resgate social infanto-juvenil do Brasil através da arte.  
Em 2013, Anthonio dá continuidade a sua turnê nacional no espetáculo “Água, Pai, Céu” ao lado do pianista e compositor Bernardo Rodrigues, agendado para BH, SP, RJ, SC, e 5 cidades mineiras, além da pré-produção de seu sexto álbum de carreira. Ao lado de grandes mestres e artistas dirige o espetáculo 100 anos de Arte revelando novos talentos no centenário de sua cidade natal, dirige sua escola, gravações de cds, e dvds de grandes artistas e ainda faz atendimentos semanais como coach profissional.
Fonte: https://mbasic.facebook.com/anthoniooficial/about?expand_all=1


Era pra ser alguns dados, mas quem disse que eu tive coragem de cortar alguma parte? 

Aquelas, eu não sei explicar exatamente o que me cativou no Anthonio, mas acho que é nesta não-explicação que está o mágico do negócio. A única coisa que sei é que, pra mim, ele é uma personificação de Minas Gerais, sempre que se fala em Minas, vejo o Anthonio, vejo-o como um ponto de convergência da mistura de regiões que é o nosso Estado, da (pós)modernidade que concilia o hoje e o ontem, a metrópole e o interior, a tradição e a inovação. Isso, claro, sem mencionar a voz linda que ele tem (meu Deus!), uma voz limpa, suave e ao mesmo tempo poderosa que é muito bem aproveitada em todas as ocasiões. Ele sabe sempre o que está fazendo, e por isso mesmo parece que é muito fácil fazer o que ele faz (mas só de querer tentar a gente já sabe que são outros quinhentos xD).




Tia, mas e a música que te hipnotizou, quero escutar, ué!

Ainda bem que você quer, pequeno gafanhoto, aqui um vídeo:




Aproveita e escuta uma do último CD também:




Espero que tenham gostado! Qualquer coisa, só procurarem o divo do Anthonio no facebook. Ele responde, gente! Pergunta se não é um artista que merece tietagem até o fim da vida?



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©