25.4.15

Livros que marcaram a minha infância

25.4.15



Não poderia deixar de fazer esse tema da blogagem coletiva do Blogs que interagem (meu grupo do coração), porque me deu uma nostalgia quando propuseram falarmos sobre os livros da nossa infância... Para mim, foi uma época excelente, porque eu lia MUITO (na faixa de um livro por dia, a tia da biblioteca pirava) e lia de tudo, sem filtro, sem preconceito, sem crítica, sem nada. Fui de Sidney Sheldon a Homero, passando por Hemingway, Dickens, Pedro Bandeira e Paulo Coelho (pelo menos deste não gostei logo de cara xD, amém). 

Daí que, óbvio, foi um CUSTO fazer essa lista, porque queria escolher uns 30 livros, mas achei que seria demasiadamente cansativo... Então resumi, resumi, resumi e cheguei nestes seis. Quero ver se alguém compartilha das minhas leituras e se isso vai fazer pipocar alguma lembrança boa.

Vamos à lista:



1 - O menino do dedo verde: Além de a história ser uma gracinha, "O menino do verde" foi o primeiro livro com 100 páginas que li na vida (a edição que li tinha 100 páginas xD - isso foi marcante). Eu devia ter uns oito, nove anos, mas a verdade é que me lembro até hoje da história de Tistu e de sua habilidade de fazer nascer flores onde quer que colocasse o seu polegar verde. Lembro-me mais ainda, visualmente até, da linha final do livro, que me emocionou bastante.

2 - Marquinhos no "lugar-nenhum": Li e reli esse livro tantas vezes que sabia de cor algumas partes. A gente, na escola, acabou lendo por causa de um projeto, mas a ideia era que comprássemos, cada aluno, um livro da coleção e fôssemos trocando. Mas quem disse que queria trocar o meu? xD Era um livro de aventura, em que Marquinhos entrava numa casa abandonada para pegar sua bola e, ao cruzar uma porta, dava-se com outro mundo, chamado "lugar-nenhum". Para voltar, ele precisava realizar algumas provas. Sempre gostei dessas coisas, então o livro para mim era uma delícia. Arrependi-me de tê-lo vendido, seria legal tê-lo como lembrança.

3 - Pássaro contra a vidraça: Parece que nos anos 90 se falava muito sobre as drogas, sobre seu perigo, sobre o estrago que poderia fazer na vida de uma família. Houve uma quantidade absurda de filmes sobre isso, livros ("Diário de um adolescente", com o DiCaprio, "Kids")... É a sensação que tenho xD. Enfim, foi nessa comoção que me deparei com "Pássaro contra a vidraça", que conta a história de Ígor e de sua tentativa desesperada de ligar para uma desconhecida e relatar sua história para não cometer uma atrocidade contra si mesmo. Apesar de ser um livro infanto-juvenil, a leitura foi muito impactante pra mim, que devia ter uns 11 anos. Sendo Ígor um rapaz de classe média que vivia bem e foi totalmente destruído pelas drogas, aquilo me arrepiou bastante. 

4 - A Odisséia: Em 1994, eu estava na 4a série, e nessa época cavaleiros do zodíaco passou pela primeira vez no Brasil. Foi uma loucura. Eu, por exemplo, vivia e respirava esse desenho, queria saber tudo relacionado a ele, desde astrologia, astronomia, filosofia e mitologia. E é aí que a "Odisséia" entra. No caso, lembro de ver uns cartazes dos meninos da 5a série sobre a obra e de ela falar de Odisseu ser protegido pela deusa Atena. Não deu outra: pedi a minha mãe (que trabalha na biblioteca da Universidade) pegar o livro para mim. O que eu não sabia era que a molecada da 5a série leu uma versão adaptada e minha mãe tinha pegado a versão original, em versos xD. Era um calhamaço de 500 páginas que li INTEIRO e não entendi NADA xD. Mas lembro de muita coisa, de Telêmaco (filho de Odisseu) tentando convencer o povo a viajar e procurar seu pai, de Atena dar uns conselhos a Odisseu... E por alguma razão inexplicável, adorava ler o livro em voz alta, parecia muito bonito. 

5 - João Simões continua: Esse livro, que conta a história da pós-vida de João Simões, um contador que viveu na década de 30, li para umas aulas de literatura (a gente podia escolher o livro que quissesse, me emprestaram esse xD) e posso dizer que afetou bastante a visão que tenho de eternidade até hoje. É um livro bem legal e divertido de ler, mas também suscita algumas questões interessantes sobre a vida após a morte, a verdade, aquilo que permanece...

6 - Os Corumbas: Já não era tão criança quando li esse livro (nem quando li o João Simões), devia ter uns 13 anos, mas, de todos os modos, foi um dos livros mais chocantes que li na vida, até porque não era para nada um livro infanto-juvenil e apresentava uma proposta muito diferente de todos os anteriores que já havia lido. A história fala sobre a familia Corumba que sai de São Paulo e vai para Aracaju, no Sergipe, trabalhar nas fábricas de tecido, com a esperança do progresso e de revolução que as máquinas traziam. Mas eles chegam lá e tudo não passa de promessas vazias. Desse modo, a vida de cada um vai se desgraçando do modo mais realista e sacana possível até não sobrar nada. Apesar de ter ficado muito impressionada na época, não me arrependo nada de tê-lo lido, até porque descobri um milhão de anos mais tarde que a minha orientadora no doutorado escreveu sua dissertação sobre esse livro e ela ficou bem surpresa e maravilhada quando soube que eu o tinha lido, coisa que ela achava impossível ter acontecido fora de Aracaju. =P


Espero que tenham gostado, espero que algum tenha provocado algo em vocês. E se vocês tiverem lido algum, me contem! E deixem o link do blog de vocês para eu visitar, please. Infelizmente não sou de responder o comentário aqui embaixo, mas a minha visita, vocês a tem garantida =D (essa é a minha forma de responder o comentário, na verdade, vou direto na fonte haha).

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Oi Lady! Nossa, adoro suas visitas lá no Mesa! Venha mais vezes, viu?!
    Então, esse semana será postada a minha lista dessa BC e te entendo sobre como foi difícil escolher os mais marcantes! Da sua lista eu só conheço "A Odisséia". Realmente, depois que você comentou, passei a me lembrar de alguns livros que li na infância (na dec de 90), os quais tinham o tema de droga neles. Foram vários mesmo! ótima observação!
    Abs

    http://mesadecafedamanha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá, Lady! De todos os livros que você citou, li apenas "O menino do dedo verde". Os outros parecem ser bem interessantes, principalmente "Os corumbas", gosto de histórias realistas. "João Simões continua" parece ser bem reflexivo, amo livros com essa temática, diria, meio espiritual (não sei se essa palavra poderia exprimir o livro). Só sei que o menino do dedo verde me marcou muito, achei a história linda e tocante. Beijossss

    ResponderExcluir
  3. Oii, assim como você eu sempre fui uma criança que devorava os livros na biblioteca !! Infelizmente não conheço nenhum dos livros que você citou.
    Mas tem vários livros que marcaram minha infância, e nessa pegada de drogas dos anos 90 eu li "A droga da obediência". Foi o primeiro livro que comprei !

    Beijoo Rii Mendes
    www.mendesrosa.com

    ResponderExcluir
  4. Oie Salieri! Adoro seu blog é muito fofo!
    Ok, pergunta: como você lembra dos livros de sua infância? Eu leio desde dos 04 anos só tenho uma vaga memoria de um livro que na capa tem uma bruxa. Só consigo lembar a partir da pré adolescência (risos) onde li a coleção toda de Vagalumes e os Clássicos.
    Ah adorava (e ainda adoro) Cavaleiros do Zodíaco =D

    Beijo
    Ana
    https://pausandoavida.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Gente, O Menino do Dedo Verde!! Lembro que peguei na biblioteca da escola quando estava começando a tomar gosto pela leitura e achei muito bom!!
    Não tinha achado ninguém que tivesse lido também!

    Beijos!
    Vestindo o Tédio

    ResponderExcluir
  6. O único que eu li foi a Odisséia de Homero que realmente é um pouco complexo. Me interessei pelo Menino do dedo verde e João Simões continua, vou procura-los em algum sebo. O post me fez desejar ter sido criança nos anos 90, as coisas pareciam ser mais interessantes.
    Beijos,
    http://s-something.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©