3.12.14

O que é fanfic?

3.12.14














1. Da definição e do surgimento das fanfics:

O termo fanfic se trata de uma abreviação de fan fiction (ou fanfiction), designando a ficção feita por fãs, sem caráter comercial ou lucrativo, a partir de uma determinada história criada por terceiros. As proposições de que parte o escritor (ou ficwriter) para criação de uma fanfic são infinitas, podendo ser a justificativa de um aspecto da história “original”; a exploração de alguns personagens dessa trama (geralmente aqueles com os quais o ficwriter mais simpatiza); a alteração de certos acontecimentos e desfechos, dentre infinitas outras. Da mesma forma, o “universo original” que serve de cenário (ou fandom) para uma fanfic pode ser qualquer um e pertencer aos variados âmbitos, como séries de televisão, livros, animes, bandas, novelas...


Com relação aos direitos autorais, de modo geral, considera-se que escrever uma fanfic não constitui uma violação de propriedade intelectual desde que a obra não seja comercializada e nem vise lucro. Ainda assim, juristas recomendam que o ficwriter (aquele que escreve as fanfics) acrescente no inicio do texto uma pequena nota legal (ou disclaimer) declarando quem realmente é o detentor dos direitos autorais, além de esclarecer que a história em questão não pretende obter qualquer forma de ganho financeiro.

Penso que as fanfics sejam tão antigas quanto a própria ficção, originando-se por meio do simples ato de uma pessoa escrever à mão um final diferente para sua história preferida. Entretanto esse fenômeno explodiu nos anos 60 com o advento das séries de televisão (creio eu, norte-americanas) que terminou por ganhar seguidores cult. Nina Neivane, no site sosficwriter, aponta também a existência de histórias feitas por fãs partindo do universo Sherlock Holmes, que remonta o fim do século XIX – lembrando que o primeiro romance sobre o detetive é publicado em 1887.

De toda forma, a disseminação das fanfictions é, maiormente, associada à Star Trek. Jane Harmon, no site wisegeek.com, afirma que as reuniões de fãs de Star Trek propiciaram o compartilhamento dessas histórias, originalmente mimeografadas ou feitas à mão (como fanzines, ou zines).

Não há dados concretos sobre o aparecimento das fanfics no Brasil. Acredito que o fenômeno tenha se consolidado com a exibição de Cavaleiros do Zodíaco (CDZ), em 1994, pela Rede Manchete. Inclusive, algumas revistas, como a Herói (1994) e Heróis do futuro (1995), chegaram a publicar histórias de fãs em seus números, relacionadas ao universo CDZ. Entretanto, a divulgação das fanfics teve maior alcance graças à exibição de Sailor Moon, em 1996, também pela extinta Manchete. Os grandes responsáveis por essa promoção podem ter sido sites como os Moonies (encerrado) e S.O.S Sailor Moon, que disponibilizavam, em meados de 1998, os arquivos em doc.


2. Dos tipos de fanfics:

É difícil classificar qualquer texto ficcional contemporâneo, sabendo que este se apresenta como uma mistura de vários gêneros. No caso das fanfics isso é amplificado enormemente, sendo a mistura parte de sua natureza, tendo em conta que o autor mescla uma história original a um contexto pré-estabelecido, faz a junção de universos completamente diferentes (criando uma única história baseando-se nos cenários de Harry Potter e Crepúsculo, por exemplo) cria novos personagens que interagem com aqueles que já fazem parte da história “original”, estende a participação de certos coadjuvantes, modifica o enredo, a estrutura e linguagem das histórias utilizadas como ponto de partida. Ainda assim, eu, assumindo a responsabilidade, arriscaria a “abrigar” as fanfics entre o gênero narrativo e dramático, dada sua estruturação em narrar acontecimentos e a ênfase demasiado forte nos diálogos, na construção pormenorizada das imagens que configuram o ambiente, e na progressão dos fatos.

Posso perceber que essas histórias, escritas por um público heterogêneo, foram se estruturando e se subdividindo de maneira quase empírica, grosso modo, distantes das classificações tradicionais. Dessa forma, a classificação das fanfics segue uma lógica diferente, misturando conceitos tirados do universo mangá/anime, da cinematografia e das classificações norte-americanas de cunho indefinido. Visto isso, as fanfics se categorizam da seguinte forma:


a) Quanto à extensão:

I. Drabble: Fanfic escrita com 100 palavras.
II. Double Drabble: É uma fanfic com, no máximo, 200 palavras.
III. Oneshot: Fanfic que contém somente um capítulo (one-shot: um-tiro - por ser uma leitura rápida), seja ele curto e postado de uma só vez ou longo e postado em partes.
IV. Shortfics: Fanfics breves, escritas em poucos capítulos.
V. Longfic/Saga: Fanfics longas, escritas em muitos capítulos.


b) Quanto à estrutura:

I. Canon: Fanfics que seguem o "cânone", ou seja, histórias fiéis à “original”, principalmente em termos de caracterização de personagens e manutenção dos casais (ou shippings ).
II. CrossOver: Fanfics em que se misturam universos (fandoms) diferentes. Ex.: Pokémon/Digimon, Harry Potter/Star Wars.
III. PWP (Plot? What plot?): “Enredo? Que enredo?” Esse tipo de fanfic não tem muito enredo, dando prioridade às cenas de sexo.
IV. Side Story: Fanfics curtas que explicam um fato ocorrido em outra fanfic, como uma espécie de "bônus". Trata-se de um capítulo que não se encaixa no meio da história original.
V. Songfic: Fanfics escritas acompanhadas da letra (e/ou tradução) da música, escolhida pelo(a) autor(a) como trilha sonora. Geralmente seu gênero é drama e são Oneshots ou Shortfics.
VI. TWT (Time? What time?): Histórias que não seguem um tempo cronológico.
VII. Darkfic/ Angst: Fanfics abundantes em cenas depressivas, atmosferas sombrias e situações angustiantes. É o contrário das fanfics definidas pelo termo "waffy".

c) Quanto à temática:

I. Amizade: Fanfics sobre amizade em geral.
II. Citrus: Fanfics sobre romance adulto; pode ou não conter cenas de sexo.
III. Femslash/Yuri: Fanfics sobre relacionamento homossexual feminino.
IV. Lolicon: Fanfics sobre romance entre uma mulher mais nova e uma mulher/homem mais velho(a) - O termo deriva da estória "Lolita".
V. Shonen-ai: Fanfics sobre relacionamentos entre homens, geralmente platônico.
VI. Shoujo-ai: Fanfics sobre relacionamentos entre mulheres, geralmente platônico.
VII. Shotacon: Fanfic com romance entre um homem/mulher mais velho com um menino.
VIII. Slash/ Yaoi: Fanfic cujo tema principal concentra-se na relação geralmente amorosa entre dois homens. "Slash" é a palavra em inglês para "barra".


c) Quanto a avisos:

I. Bondage: Quando ocorre na fanfic imobilização de um dos parceiros para satisfação sexual.
II. Deathfic: Onde pelo menos um personagem principal morre.
III. Fanon: Indica a presença de ideias já propagadas em outras fanfics e que se tornaram tão populares quanto a obra original.
IV. Fetichismo: Atração por peças de roupas, objetos ou determinadas partes do corpo.
V. Hentai ou Restrita: Fanfics com cenas de sexo (explícitas)
VI. Lemon: Fanfic com cenas de sexo homossexual explícito.
VII. Lime/ecchi: História com cenas de sexo implícito, tanto entre casais hétero quanto homossexuais.
VIII. NCS (Non Consensual Sex): Quando ocorre uma relação sexual sem o consentimento total de um dos parceiros. (Na Wikipédia há uma pequena nota dizendo que esse tipo de sexo não configura estupro, entretanto, qualquer “non consensual sex” configura-se estupro, sim!).
IX. OC (Original Character): Quando a fanfic possui algum personagem criado pelo autor da fanfic.
X. OOC (Out of Character): Quando o personagem age de forma diferente do habitual.
XI. Orange: Fanfic com cenas de sexo explícito entre mulheres
XII. SM: Fanfic com cenas de sadomasoquismo
XIII. Threesome: Fanfic com cenas de sexo entre três pessoas.
XIV. Dark Lemon/Orange: Fanfics com cenas de sexo homossexual (sendo Lemon relação entre homens e Orange relação entre mulheres) com violência explícita, geralmente estupro.


d) Quanto ao estilo:

I. Fluffy/waffy: Fanfic extremamente açucarada. Chega a ser mais do que um romance, onde os personagens são carinhosos.
II. Doujinshi: Normalmente, o termo se refere a mangás/fanzines de artistas não profissionalizados, podendo conter tanto histórias originais quanto baseadas em um mangá ou um anime da moda. Entretanto, escritores de fanfics que se dedicam em criar histórias inspiradas em animes e mangás classificam seus trabalhos como doujinshi, mesmo quando é apenas texto e não possui ilustrações, o que configura uma classificação arbitrária.
III. Mary Sue: Alguns tipos de fanfics são chamadas por Mary Sue por possuírem um formato mais "açucarado", marcado por um tom melodramático e apelativo. O nome do estilo é uma homenagem à Tenente Mary Sue, uma personagem de fanfics de Jornada das Estrelas dos anos 80 que definiu o arquétipo da personagem perfeita altamente idealizada. Também são chamadas de Mary Sue (ou Gary Stu, na versão masculina) as fanfictions onde a personagem principal é completamente inatingível.
IV. R.A. (Realidade Alternativa): Quando a fanfic é escrita com os mesmos personagens e locais daqueles criados pelo(a) autor(a) original, porém, um dos fatos mudam.
V. SAP (Sweet as possible): Significa: tão doce quanto possível. Trata-se de uma fanfic açucarada, mas não ao ponto de ser Mary Sue.
VI. Self Inserction: Quando o ficwriter (escritor) participa da trama, interagindo com os personagens.
VII. U.A. (Universo Alternativo): Quando a fanfic se passa em um mundo diferente daquele criado pelo (a) autor (a) original da série, mas utilizando os personagens já existentes na história, na maioria das vezes buscando não alterar as características físicas e psicológicas das personagens.
VIII. What If: O que aconteceria se a história tomasse um rumo diferente.

e) Quanto ao “gênero”:

I. Ação.
II. Aventura.
III. Comédia.
IV. Drama (certa redundância com a estrutura darkfic/angst).
V. Fantasia.
VI. Ficção cientifica.
VII. Furry: História em que há a presença de personagens animais humanizados.
VIII. Humor negro.
IX. Mistério.
X. Suspense.
XI. Terror.
XII. Romance.


f) Outros:

I. MPREG: Male Pregnant. Fanfic onde personagens do sexo masculino tem a capacidade de engravidar.
II. Voyeurism: Quando se observa alguém com o objetivo de obter satisfação sexual.

IMPORTANTE: Em verdade há uma terminologia muito mais ampla do que essa trazida ao texto, entretanto, muitas das terminações são redundantes em relação às que já foram mencionadas. Dessa forma, a lista que apresento está mais “enxuta” e mais oportuna para a classificação das fanfics, sem perder o caráter das nomenclaturas inerentes ao “subgênero”.


3. Das “originais”:

Não sei se em todos os sites especializados em fanfics é possível notar o mesmo que acontece com o Nyah! Fanfiction, mas neste site há uma categoria especial para as fanfics denominadas “originais”. Denominadas por muitos apenas como “fics”, em lugar de fanfics, essas histórias não são baseadas em nenhum fandom, configurando-se criações desse público também autor de fanfics. É um fenômeno curioso, pois, nesse caso, não se está olhando para o fato de que uma fanfic se baseia em uma criação de fãs a partir de uma obra já existente, mas para o fato de os criadores desses originais não visarem qualquer forma de lucro com a história escrita, ampliando, assim, a noção do termo fanfic.


Artigo publicado originalmente por mim no blog: http://www.ligadosbetas.blogspot.com.br/2013/01/o-que-e-fanfic.html#sthash.XdUBkkFr.dpuf

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Eu escrevo fanfic, mas tem muitas coisas no post que não sabia, gostei do post =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fátima!
      Que ninja, você coloca suas fics no blog? Depois me manda um endereço pra eu ler =D Amo fic, amo amo amo haha.
      Um beijo, super obrigada pela leitura =D

      Excluir

Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©