20.8.16

O desafio insuperado de conviver com vizinhos ruidosos

20.8.16
Imagem: Pixabay

j
Todo mundo que me acompanha no facebook sabe que moro numa ilha residencial cercada de sobrados por todos os lados, o que me faz ser-sem-ser extensão de um grande condomínio, ou seja, conformo parte de um lugar em que as distâncias são grandes, mas o espaços, muito pequenos, usando uma metáfora de que gosto muito e que já usei nuns trezentos poemas.

Fazendo jus a isso, meus vizinhos, em uma espécie de metonímia do sujeito contemporâneo, têm fobia de silêncio em um nível que não sei explicar, o que só pode ser um sério problema em lidar com suas próprias subjetividades, tipo, encarar o silêncio é cair no abismo aterrorizante revelador do eu, então, precisamos tapar isso de qualquer maneira, então vamos fazer isso com: ruido! Ruído pra eles, ruído pra mim, ruído pra vizinhança, ruído pr'o bairro... E em momentos "super convenientes", como meia-noite, duas da manhã, sete da manhã no sábado, em um dos únicos dias em que você pode dormir até mais tarde...




Fico pensando, às vezes, se eles não levaram muito ao pé da letra aquela canção do Simon e Garfunkel, The Sound of Silence, quando estes cantam "Fools, said I, you do not know/ Silence like a cancer grows" (Tolos, eu disse, vocês não sabem/ o silêncio cresce como um câncer). Já que se trata uma geração que não sabe interpretar texto, rola de avisar que o silêncio da canção se refere à incapacidade das pessoas de se comunicar e compartilhar coisas, o que deixa todo mundo na estaca zero, porque impor é diferente de compartilhar, e ruído, então...

11.8.16

6 filmes estrelados por Robin Williams para assistir na netflix

11.8.16
Créditos: http://abc7news.com/


Levei um baita de um susto quando apareceu minhas memórias no facebook hoje e notei que faz não um, mas dois anos que o ator Robin Williams morreu. Não tem como escapar do clichê: como o tempo passa rápido, socorro!

Quem viveu a infância na década de 90 teve esse ator muito presente na vida. Robin Williams foi pai, irmão, babá, psicólogo, professor, médico e, acima de tudo, um grande amigo, auxiliando a gente em várias etapas do nosso crescimento.

Pra mim é impossível não lembrar de filmes como "miss Doubtfire", "Jumanji", "Hook - a volta do capitão gancho" (o primeiro filme que assisti legendado na vida!), "Jack", "Um sinal de esperança" (um dos filmes mais tristes da minha adolescência)... e muitos outros, claro, que nos fizeram rir, chorar e aprender a sermos um pouco mais sensíveis diante do mundo.

Por isso, resolvi homenageá-lo, garimpando seus filmes na Netflix e fazendo uma pequena lista daqueles que vi e que recomendo.

São eles:

9.8.16

Menu fixo (ou não) no topo do blog

9.8.16
Crédito: Pixabay


fffff
ffffff

Estou numa vibe louquíssima de personalizar um layout eu mesma. Nem vou falar de fazer um ainda, porque não domino nada disso, só gosto mesmo de uma boa gambiarra (mas estou vendo altos tutorais de html e css no youtube e aplicativos do android, então quem sabe um dia que não consiga essa proeza =D).

Verdade é que este layout meu, por motivos que desconheço, já está com várias coisas bugadas e isso está me dando nos nervos. A segunda página sumiu, as postagens relacionadas sumiram... E já cansei das cores também xD.

Estou contente com meu trabalho, espero poder trazê-lo em breve, ainda que esteja fazendo tudo sem a mínima pressa. Já tentei personalizar um layout várias vezes, mas sempre passei tanta raiva que acabei comprando um personalizado mesmo. São sempre muitos detalhes... E esse é um motivo pelo qual a gente tem que agradecer e valorizar muitíssimo todos os designers pela santa paciência, amém =).

Por isso a ideia é ir bem devagar, mesmo que demore um mês ou mais. Importante é fazer tudo o que eu quero nesse lay =).

Uma das coisas que sempre quis era um menu superior que não ficasse fixo no topo do blog, ou seja, que sumisse da minha área de visualização conforme eu rolasse a página, porque, convenhamos, não ofereço serviço nenhum, então não tem muito sentido uma barra com meus contatos e "sobre o meu blog" ficar atrapalhando a leitura dos posts. 

31.7.16

Amigo secreto da Liga dos Betas

31.7.16
Foto: Deviantart






j

Desde 2013, nós, da Liga dos Betas do Nyah! Fanfiction, comemoramos um amigo secreto com troca de histórias e fanfics. E acabou sendo uma tradição tão forte dentro do nosso grupo que desde o ano passado pensamos em fazer dois amigos secretos por ano, um em julho, mais "leve", com direito a ressorteio se eu não me sinto bem com a pessoa que eu tirei; outro em dezembro, mais hard, sem direito a ressorteio ou negociação.

A alegria de participar desse Amigo secreto é a possibilidade de você sair da sua zona de conforto e escrever sobre aquilo que seu amigo deseja, de acordo com suas próprias especificações. É um exercício não só criativo, mas de empatia também, afinal de contas, deixamos nosso mundo um pouco de lado para entrar no mundo de outra pessoa que tanto pode similar ao nosso quanto pode ser totalmente oposto.

Eu já escrevi de tudo nesses amigos secretos, começando por Crepúsculo e Vampire Academy (sem contar o famoso crossover de House e Hannibal que foi feito em outro amigo secreto, mas que foi o iniciador de tudo), universos com os quais eu não tenho absolutamente NADA A VER, até essa fic deste ano, sobre Doctor Who, mais especificamente sobre o Doutor e a Donna, um universo com que tenho TUDO A VER haha.

Todo mundo já está cansadíssimo de saber o quanto me identifico com a Donna, e o quanto eu achei injusto o final dela, a ponto de não conseguir mais avançar na série de modo algum. O pessoal que me conhece, e até alguns leitores mais assíduos do blog, estão cansadíssimos me "escutar" falando que Doctor Who termina na 4a temporada e ainda não mudei de opinião (quem sabe um dia haha). 

Quando meu amigo pediu uma história desses dois (dentre outras várias opções), eu simplesmente não consegui pensar em mais nada (isso porque eu tinha pedido o mesmo fandom e a mesma dupla no ano passado, ganhando inclusive um dos melhores presentes da minha vida). Por mais que eu ache que minha amiga secreta escreveu a melhor fic do mundo sobre os dois e esgotou o tema de uma vez por todas, nunca saiu da minha cabeça o famoso "e se a Donna tivesse visto o Doutor se despedindo dela no dia do seu casamento em The End of Time?" 

Foi a partir daí que resolvi escrever minha historinha. 
A parte boa foi que acabei matando três coelhos com uma cajadada só, porque escrevi a fic para meu amigo, escrevi pra mim e escrevi também para o blogagem coletiva do +QP.

Quem animar de ler, espero que goste. Basta clicar AQUI.

E, mais ainda, se alguém quiser comentar, por favor, deixe o endereço do seu blog para eu retribuir a visita =D. É uma das coisas que eu mais gosto de fazer, portanto não se sinta acanhado(a).


Nenhuma imagem presente neste blog me pertence. Todas foram encontradas na internet por meio de pesquisa no google.com e não viso qualquer fim comercial com seus respectivos usos. Se usei uma imagem sua e não lhe dei os devidos créditos, por favor me avise que o farei imediatamente, ou a retirarei do blog se você não quiser que eu a use. Visão Periférica - 2016

Design e Desenvolvimento por Moonly Design / ©